Senna comemora experiência, mas reconhece que chuva pode mudar tudo

Brasileiro terminou o dia em 12º após completar quase um GP inteiro em primeira experiência com carro competitivo

Bruno Senna terminou o dia em 12º

Bruno Senna viu os treinos para o GP Brasil como uma boa ferramente de aprendizagem para ele, cuja maior experiência em Interlagos é com a Hispania. O piloto completou 69 voltas, uma a menos do que fará no domingo durante a corrida. No entanto, o piloto, que terminou o dia em 12º, reconhece que muito do que foi feito hoje pode ser perdido se chover.

“Eu dei um monte de volta na pista depois do ano passado, mas claro que andar com um carro competitivo é um esquema bem diferente. O Vitaly estava com algumas peças experimentais no carro e eu com outras e estamos vendo o que pode ser traduzido desse carro para o outro antes de poder tirar qualquer conclusão.”

Segundo o brasileiro, como a probabilidade de chuva é cada vez maior para o final de semana, muito desse trabalho pode ser perdido, mas ainda há o que aproveitar.

“Essa é a previsão [de chuva], que nos últimos dias ficou mais consistente. Então a chance de uma corrida no molhado, com condições que vão mudar, é grande e a gente vai ter de ver como será a performance do carro no molhado. É claro que o acerto do carro é muito diferente, mudando do seco para o molhado, mas o trabalho que se faz no seco não é totalmente irrelevante para o molhado.”

Perguntado sobre o quanto este final de semana interfere nas negociações para seu futuro, o piloto brasileiro reconheceu que é importante, mas salientou que há muitos fatores em jogo.

“A gente já tem feito isso há muito tempo e acho que a performance do final de semana conta, do campeonato também. As variáveis são muitas e quem sabe o que vai passar na cabeça dos dirigentes? Espero que a decisão seja ao meu favor.”

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP do Brasil
Pilotos Bruno Senna
Tipo de artigo Últimas notícias