Senna lamenta 11º lugar: "Tinha muito mais tempo para tirar"

Brasileiro reconhece erro em volta rápida, mas salienta bom ritmo de corrida da Williams nos Estados Unidos

Reconhecendo a boa performance da Williams neste final de semana de GP dos Estados Unidos, Bruno Senna lamentou a 11ª colocação no grid de largada. O brasileiro, que chegou a marcar o quinto melhor tempo na primeira parte do treino, reconheceu ao TotalRace ter perdido quatro décimos em sua última tentativa, o suficiente para estar entre os 10 melhores.

“A pista evoluiu bastante, tem um traçado muito mais largo agora. Mas, quando você coloca o pneu em uma grama artificial, suja muito e não limpa até a curva seguinte. Perdi muito tempo com isso na minha volta e foi frustrante porque estava em uma volta boa. Com certeza tinha muito mais tempo para tirar do carro, mas errei na última volta e, do jeito que está a F-1, se você comete um erro perde muitas posições.”

Pensando na corrida, Senna se mostra confiante com o ritmo da Williams e salientou a necessidade de não se envolver em acidentes na primeira volta.

“Pelo menos, estamos em 11º e dá para fazer uma corrida muito mais forte do que largando mais atrás e o carro está muito competitivo – em situação de corrida, o carro estava bem forte. Precisamos manter o carro intacto na primeira curva, pois tem muita chance de ter acidente e esperar que tudo dê certo amanhã.”

A grande aposta do brasileiro é começar a corrida forte, pois Bruno espera ter dificuldades para ganhar posições na pista de Austin. “Vai ser difícil passar na pista, com certeza, porque fora do traçado é muito sujo. Terá de ser na estratégia e talvez com uma primeira volta boa.”

Também ouvido pelo TotalRace, Pastor Maldonado mostrou-se igualmente infeliz com a classificação. O piloto larga em décimo mas, depois da boa performance na segunda parte do treino, esperava mais.

“Aconteceu alguma coisa na última parte da classificação. Éramos sextos no Q2, o que era muito bom para o carro que tínhamos. Mas não consegui aquecer corretamente os pneus e aqui a pista é muito sensível à temperatura. Perdi aderência e era impossível melhorar.”

Mesmo estando em uma zona de perigo, no meio do pelotão, Maldonado não espera problemas na primeira volta. “Acho que a largada será tranquila. Espero que os pilotos estejam tranquilos”, afirmou o venezuelano que, quando perguntado se sentia-se ameaçado por largar ao lado de Romain Grosjean, disse que “ele já aprendeu a lição”.

O piloto da Williams não acredita que será especialmente difícil ultrapassar em Austin. “Pode haver ação na corrida, mas é difícil dizer porque não conhecemos a pista. Acho que será difícil como em todas as pistas, mas não impossível. Há muitas freadas, muitos lugares em que dá para tentar ultrapassar.”

Perguntado se acredita que a Williams tem ritmo para lutar com Ferrari e Mercedes, o venezuelano disse que sim, e espera que Schumacher seja mais lento em ritmo de corrida. “Por isso, será importante ultrapassá-lo rapidamente.”

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP dos EUA
Pilotos Pastor Maldonado , Bruno Senna
Tipo de artigo Últimas notícias