Senna lamenta toque, mas se diz satisfeito com performance

Brasileiro teve de fazer uma parada extra para trocar o bico, mas não se vê chegando muito acima de 15º

Bruno Senna foi o 15º em Cingapura

Um toque no muro logo depois do primeiro pitstop fez Bruno Senna perder muito tempo e cair para as últimas posições, mas o brasileiro acredita que o 15º lugar era mais ou menos o que a Renault lhe permitia neste GP de Cingapura.

“Foi um problema que eu tive com o balanço de freio do carro. A performance do pneu traseiro estava muito ruim no primeiro stint e tive de colocar o balanço de freio muito para frente. Quando coloquei o outro jogo de pneus, travou o da frente e acabei encostando no muro, devagar. Isso foi o suficiente para danificar a asa da frente, então tive de fazer outro pitstop e perdi muito tempo. Talvez eu terminasse uma ou duas posições na frente, mas não ia fazer muita diferença”, afirmou com exclusividade ao TotalRace.

O “prêmio de consolação” para o brasileiro é ter terminado mais uma vez à frente do companheiro Vitaly Petrov, mesmo tendo feito um pitstop a mais que o russo.

“A gente conseguiu fazer um trabalho melhor com o carro. Eu estava mais competitivo do que o de Vitaly. Hoje ultrapassei bastante, consegui ir de 22º para 15º, e isso não foi fácil”, explicou.

O brasileiro acredita que a Renault deve se adaptar melhor ao palco do próximo GP, no Japão.

“Em termos de corrida, estou satisfeito dentro das possibilidades, mas com certeza em Suzuka a performance vai ser muito mais positiva.”

(colaborou Luis Fernando Ramos, de Cingapura)

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP de Cingapura
Pilotos Bruno Senna
Tipo de artigo Últimas notícias