Stock: veja o que disseram os pilotos sobre treinos coletivos

Categoria realizou pela primeira vez em muito tempo dois dias de treinos sozinha; ensaio aconteceu em Curitiba

Carros da Stock Car em Curitiba (Foto: Duda Bairros/Vicar)

Ricardo Maurício, Eurofarma RC: "Sabemos que não vale pontos, mas é um aquecimento para a temporada e estamos no caminho certo. Temos que construir os resultados a cada etapa. Principalmente agora que não temos mais que descartar pontos. No ano passado, eu estava em segundo lugar na última etapa e não concorria mais ao título por causa dos descartes. Penso que este ano teremos uma história diferente."

Max Wilson, Eurofarma RC: "Essa é uma categoria muito equilibrada e estamos todos virando muito próximos, por isso vamos pensar no carro para Interlagos que é o primeiro grande desafio da temporada."
 
Lico Kaesemodel, Credipar RCM: "Foram dois dias muito produtivos. Hoje pela manhã nos concentramos em concluir o trabalho iniciado ontem, visando voltas rápidas. A tarde foi voltada para simulação de corrida. Apesar do sol escaldante, o tempo ajudou para avaliar o desgaste de pneus nessas condições. O saldo positivo é que nosso ritmo de corrida é muito bom e o carro se mostrou bastante confiável. Precisamos fazer alguns ajustes nas voltas rápidas."
 
Galid Osman, BMC Full Time: "Este começo está sendo excelente. Eu e o Tuka (Rocha) estamos trocando muitas informações e a experiência também de nosso preparador (Maurício Ferreira) está ajudando muito para que a adaptação seja rápida. Completamos todo nosso cronograma: fiz voltas rápidas, andei com tanque cheio e simulei um GP. Com toda quilometragem acumulada, é como se eu já tivesse na bagagem disputado uns dois ou três GPs."
 
Tuka Rocha, BMC Full Time: "No automobilismo, a gente costuma brincar que é melhor ter problema mecânico em testes do que na classificação ou na corrida. Mas é bem por aí mesmo: meu carro é novo e é natural que alguns ajustes tenham que ser feitos. Tivemos que trocar de motor algumas vezes, troca o câmbio e tudo isso acaba encurtando o tempo de pista. Em todo caso, o entrosamento com o time está sendo excelente e tenho certeza de que vamos já começar competitivos."
 
Luciano Burti, Itaipava Boettger: "Deu para testar muita coisa, experimentar tudo o que precisávamos, exatamente como planejamos. O objetivo foi cumprido e é muito bom quando você consegue testar tudo o que deseja. Agora, o mais importante é o trabalho na oficina da equipe, com os dados que conseguimos coletar nesses dois dias. Agora é hora de fazer a lição de casa."
 
David Muffato, Itaipava Boettger: "Estamos levando para a oficina algumas melhorias em relação ao que tínhamos no ano passado. Mexemos muito no carro, muito mesmo, e nem tudo o que fizemos agradou. Mas o mais importante foi tirar todas as dúvidas que tínhamos e sair de Curitiba com coisas novas para pensar."
 
Diego Nunes, Hot Car: "Pela manhã, fizemos alguns testes e passamos os pneus novos, mas não conseguimos achar o acerto ideal. À tarde, voltamos para o equilíbrio que julgávamos ser o melhor depois de todos os testes e o carro estava realmente muito bom. Não tínhamos mais os pneus novos, mas mesmo assim consegui terminar em 11º. Agora é trabalhar para São Paulo, mas acredito que vamos estar entre os mais rápidos." 
 
Eduardo Leite, Hot Car: "É importante para ver como o carro está e assim já podemos trabalhar e melhorar para a etapa de São Paulo. Tivemos alguns problemas, mas continuo animado."
 
Rodrigo Sperafico, Prati-Donaduzzi Mico's: "Atingimos boa parte dos nossos objetivos para este treino, e fizemos pelo menos 70% dos testes que precisávamos realizar antes da primeira corrida", avaliou Ricardo, que no ano passado conquistou a pole position na etapa de Salvador. "Infelizmente a nossa quarta-feira não foi tão produtiva em razão de um problema no carro, mas conseguimos evoluir muito hoje (quinta) e o resultado apareceu. Ainda temos o que buscar, mas o sexto lugar no último treino de hoje mostra que estamos no caminho certo."
 
Ricardo Sperafico, Prati-Donaduzzi Mico's: "Conseguimos evoluir no desenvolvimento do carro, e também buscamos um maior entrosamento entre os pilotos e a nova estrutura técnica da equipe Prati-Donaduzzi. Nestes dois dias, tivemos doze horas de pista aberta para treinos, o que equivale ao volume de treinos que temos em praticamente metade da temporada. Por isso conseguimos testar muita coisa."
 
Daniel Serra, Red Bull: "Estes dois dias de treinos foram muito bons. Conseguimos fazer tudo o que a gente planejou e coletamos muita informação, que era o nosso objetivo aqui em Curitiba. Agora é trabalhar em cima destas informações para chegarmos bem fortes em São Paulo."
 
Cacá Bueno, Red Bull: "Os treinos foram muito proveitosos. Fizemos tudo que queríamos. Treinamos em diversas situações diferentes - simulação de corrida, simulação de classificação - e conseguimos levantar um grande número de dados, que, agora, serão analisados até a corrida de São Paulo. Mesmo não terminando o dia tão bem, em um dado momento, eu estava em segundo e o Daniel em quarto. O importante é que conseguimos um grande número de informação que serão muito úteis para a gente ao longo da temporada."
 
Denis Navarro, Neoquímica Vogel: "Fico contente com o que fizemos aqui, porque não só consegui melhorar essa marca como percebi que seremos competitivos na temporada. Toda vez que fomos para a pista andamos perto dos mais rápidos e isso motiva bastante. Era para fazer uma simulação de corrida, mas acabamos prejudicados com dois pneus furados. Daí não deu para voltar para a pista."
 
Átila Abreu, Mobil Super Pioneer AMG: "Foram dias muito proveitosos. Testamos diversas situações de corrida e de classificação e conseguimos bons tempos. Isso sem dúvida serve de referência para a temporada. É uma oportunidade única andar quase 70 voltas por dia. É praticamente a distância de dois grandes prêmios, considerando que as provas em 2012 serão mais curtas. Deu para testar a durabilidade do carro e ainda ficamos quase sempre entre os três mais rápidos. Então foi um desempenho bastante positivo."
 
Pedro Boesel, Comprafacil JF: "Desde que comecei na categoria de base da Stock, a Stock Junior, coloquei como meta este dia. Andei pela primeira vez neste carro e foi a realização de um grande objetivo. Agora espero me adaptar o mais rápido possível para lutar por bons resultados já neste meu primeiro ano com a equipe."
 
Antonio Pizzonia, Comprafacil JF: "Fico feliz em retornar à categoria e espero trazer bons resultados para a equipe Comprafacil.com. Nosso objetivo nos dois dias de treino foi simular condições de corrida e trocar bastante informação com o pessoal do time e com o Jorginho (de Freitas, chefe de equipe)." 
 
Thiago Camilo, Ipiranga RCM: “Teremos que achar um acerto misto, onde o carro se comporte bem na classificação e na corrida. Se a gente tiver um acerto muito agressivo na classificação,  os pneus não vão agüentar os 40 minutos de corrida. E provavelmente ninguém vai fazer pit stops para troca de pneus, porque numa corrida mais curta não daria tempo de recuperar o tempo perdido. Testamos muitas coisas diferentes nesses dois dias, sempre buscando esse novo acerto. Usei todas as voltas a que tinha direito.”
 
Alceu Feldmann, Shell A. Mattheis: "Na tomada de tempos, usamos um setup mais arrojado, com muita cambagem e pouca altura. Para a corrida, costumamos diminuir essa dose, para que o carro se mantenha constante durante a prova. Como os dez primeiros não poderão mexer nesses itens, a dinâmica da corrida ficará mais interessante, principalmente nas últimas voltas, pois esses carros estarão com maior desgaste de pneus."
 

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias