Todt quer GP da França, mas lembra que decisão ainda não cabe à FIA

Presidente da entidade máxima do automobilismo mundial diz que problema ainda está nas mãos dos franceses

Todt:

Fora da Fórmula 1 desde 2009, o Grande Prêmio da França é um dos candidatos a integrar o calendário da próxima temporada, já que ainda resta uma vaga a ser preenchida para que chegue ao número pretendido de 20 GPs. No entanto, os franceses estão em desvantagem em relação a turcos e austríacos, que também estão na briga.

E nem o francês Jean Todt, nada menos que o presidente da FIA pode interceder nesta questão. “Esse é um problema que não pode ser resolvido nem pela FIA, nem por seu presidente”, declarou à imprensa francesa. "É algo que cabe à Federação de Automobilismo da França, às regiões interessadas e, eventualmente, às autoridades francesas”, continuou o dirigente.

"Mas, como alguém apaixonado pelo automobilismo, eu ficaria feliz caso houvesse um Grande Prêmio na França. Se o arquivo chegar à minha mesa, eu, obviamente, farei o possível para que o resultado seja favorável. Mas isto ainda não aconteceu”, completou Todt.

O Grande Prêmio da França esteve presente desde o surgimento da categoria, em 1950 e teve 58 edições.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias