Tony Fernandes desabafa e acusa novos compradores por fracasso da Caterham

Novos donos desistiram de comprar a equipe na última quarta-feira e despertaram uma nova crise na Caterham

Tony Fernandes 'contra-atacou' nesta quinta-feira
A crise da Caterham se tornou, desde a última quarta-feira, uma troca de acusações entre os ‘chefões’. Depois do grupo de investidores, então ‘novos donos’, desistir da compra da equipe, Tony Fernandes, responsável pela venda, foi quem falou mais profundamente sobre o assunto nesta quinta-feira. Ele desabafou e contra-atacou.
 
[publicidade] Os problemas financeiros grave da equipe eram evidentes, mas se tornaram ainda mais expostos depois da desistência do grupo de investidores suíços e do Oriente Médio. A parceria firmada com a intenção de comprar a Caterham vetou o negócio e acusou Tony Fernandes, antigo dono, de não colaborar.
 
Nesta quinta-feira foi a vez de Tony responder. Depois de escrever no Twitter sobre o assunto, o velho-novo-dono da Caterham tratou de dar a sua versão da história, contra-atacando o grupo de investidores.
 
“Infelizmente, a Engavest (grupo de investidores) não cumpriu com qualquer uma das condições do contrato, e a Caterham Sports Ltd. teve de ser colocada para ser administrada pelo banco, com grandes dívidas com credores”, contou Tony Fernandes.
 
“Nosso acordo era claro: não havia a obrigação legal de transferir as ações pra eles, a menos que algumas condições – como o pagamento destes credores – fossem atendidas. Simplesmente não foram cumpridas essas condições”, garantiu o empresário.
 
Sem quem pague a conta, a Caterham sofreu as consequências já nesta quinta-feira, dia no qual funcionários foram impedidos de entrar para trabalhar na fábrica do time, em Leafield. As dívidas chegam a 80 milhões de reais, e 200 empregos estão em risco.
 

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias