Vettel destaca "desafio" de pilotar em Cingapura

Vencedor de ponta a ponta, alemão só não conquistou o Grand Chelem pois Jenson Button fez a volta mais rápida

Vettel celebrou a nona vitória do ano em Cingapura

Pole e líder de todas as voltas, sem ao menos perder a posição momentaneamente nas três paradas de boxes. Sebastian Vettel só não obteve a glória máxima de um piloto em uma corrida, o Grand Chelem, porque o segundo colocado Jenson Button marcou a volta mais rápida do GP de Cingapura.

“Consegui pular na frente facilmente e abrir uma boa vantagem, mas a entrada do Safety Car  atrapalhou um pouco. Porém, minha relargada foi muito boa e consegui abrir o suficiente para manter a posição no final mesmo com a pressão de Button”, resumiu o piloto da Red Bull.

O único problema de Vettel na corrida foram os retardatários, que se acumularam principalmente no final da prova, quando Button era mais rápido e esboçava uma reação.

“No final, tive dificuldades com retardatários. Na última volta, tinha cinco carros à minha frente, mas a vantagem que tinha construído me ajudou a controlar me manter em primeiro.”

O alemão chamou o GP de Cingapura, disputado sob intenso calor, de “desafio” e não quis se colocar como campeão.

“Foi um resultado fantástico, amo a pista, é um grande desafio pilotar aqui, talvez tenha saído a corrida mais longa do ano. Mas o carro estava bem e a equipe fez um trabalho fantástico. Agora parece que teremos uma chance de ganhar o campeonato na próxima prova”, afirmou o virtual bicampeão do mundo com um sorriso no rosto.

O único que ainda ameaça a conquista de Vettel é Button. Se o alemão fizer um ponto, mesmo que o inglês vença, torna-se o bicampeão mais jovem da história.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP de Cingapura
Pilotos Sebastian Vettel
Tipo de artigo Últimas notícias