Vettel domina prova com final emocionante em Cingapura

Diferenças de estratégia animam últimas voltas: Alonso e Raikkonen saem de trás para chegar no pódio

Pole, vitória, volta mais rápida e líder em todas as voltas. Sebastian Vettel fez seu terceiro grande chelem na carreira ao ser absoluto no GP de Cingapura. Mas, se o alemão dominou na frente, a briga rolou solta no final da prova, com pilotos em estratégias diferentes. Quem acertou foi Fernando Alonso e Kimi Raikkonen, que largaram em sétimo e 13º, respectivamente, e chegaram no pódio. Felipe Massa terminou em sexto, fazendo uma parada a mais que os ponteiros.

Em excelente largada pelo lado de fora, Fernando Alonso pulou do sétimo para o terceiro lugar, atrás de Vettel e Rosberg, que chegaram a dividir as primeiras curvas, mas com vantagem para o piloto da Red Bull, que logo abriu.

Grosjean caiu para quinto, sendo também superado por Webber. Atrás da dupla, Hamilton e Massa tiveram uma briga forte e o inglês chegou a ultrapassar o brasileiro, mas a direção de prova pediu que o piloto da Mercedes devolvesse a posição. Button, Hulkenberg – também com grande largada – e Perez completavam o top 10. Mais atrás, Raikkonen abria caminho, pulando de 13º na largada para 11º.

Logo nas primeiras voltas, o engenheiro pediu a Vettel que diminuísse o ritmo. Em sete voltas, o alemão abriu sete segundos, enquanto Rosberg também abria em relação a Alonso. Preocupados com os pneus, os pilotos buscavam manter uma certa distância entre os carros.

Com 11 voltas, Raikkonen foi o primeiro a parar, colocando supermacios. Duas voltas depois, foi a vez de Felipe Massa, que optou por médios. Webber fez o mesmo na volta seguinte. Parando na volta 15, Alonso também optou pelo pneu mais duro e acabou voltando no tráfego de Di Resta, perdendo sua vantagem, que era de 4s antes da parada, em relação a Webber.

A Mercedes executou uma parada dupla na volta 16, com Rosberg e Hamilton colocando pneus médios, mas Grosjean optou pelos supermacios. Vettel parou só na volta 18, também colocando médios. Como Massa ficou preso atrás de Maldonado, Hamilton voltou na frente do brasileiro.

Di Resta parou apenas na 21ª volta, mesmo com os supermacios, liberando Alonso. O espanhol tinha Webber a menos de dois segundos e só não foi pressionado porque o australiano estava mais preocupado com Grosjean, único dos ponteiros com o supermacio.

Na volta 25, Ricciardo bateu e ficou no meio da pista. O Safety Car reagrupou o pelotão e todos pararam, com a exceção de das Red Bull, das Mercedes e Di Resta. Assim, Vettel manteve a ponta, seguido por Rosberg, Webber, Hamilton, Alonso, Grosjean, Di Resta, Massa, Button e Raikkonen. Só o escocês e o brasileiro estavam com pneus supermacios.

A prova recomeçou na volta 31. Em duas voltas, Vettel abriu 5s5. Na volta seguinte, Grosjean voltou aos boxes por um problema no consumo de ar do motor, perdeu muito tempo e voltou no fim do pelotão, abandonando algumas voltas depois.

Na volta 40, Webber foi o primeiro do top 4 a parar, seguido por Rosberg na volta seguinte. Mas não foi o suficiente para evitar o undercut da Red Bull. Na volta 43, Massa e Sutil se livraram dos supermacios, e Hamilton parou na volta seguinte, voltando atrás de Rosberg. Vettel parou na volta 45 e voltou ainda em primeiro, pois tinha 30s em relação a Alonso.

Buscando voltar à zona de pontuação depois de fazer suas três paradas, Massa superou Gutierrez para ser o 11º, sempre atrás de Di Resta. Na sétima, oitava e nona posições, a briga era boa entre Webber e as Mercedes. O trio estava na expectativa de ver o que Alonso, Button, Raikkonen, Perez e Hulkenberg fariam com a estratégia.

Nas voltas finais, aqueles que tinham mais pneu cansaram de esperar e foram para cima: Webber superou Hulkenberg, deixando a encrenca para as Mercedes. Mais na frente, Raikkonen tirou o primeiro pódio do ano que de Button, em grande manobra.

Di Resta perdeu o carro e bateu, mas a direção de prova decidiu não colocar um segundo Safety Car. Com isso Massa, voltou à zona de pontuação, em um trenzinho muito disputado com as McLaren e as Mercedes.

Com cinco voltas para o final, mas Mercedes se livraram das McLaren, e Felipe Massa também superou ambos com três voltas para o fim, subindo para sétimo. Com Webber sofrendo problemas de câmbio, as Mercedes também superaram a Red Bull. O australiano tentou se arrastar até o final, mas não conseguiu, dando outra posição a Massa.

Resultado do GP de Cingapura:

1) Sebastian Vettel (Red Bull), 61 voltas
2) Fernando Alonso (Ferrari), a 32s6
3) Kimi Raikkonen (Lotus), a 43s9
4) Nico Rosberg (Mercedes), a 51s1
5) Lewis Hamilton (Mercedes), a 53s1
6) Felipe Massa (Ferrari), a 63s8
7) Jenson Button (McLaren), a 83s3
8) Sergio Pérez (McLaren), a 83s8
9) Nico Hulkenberg (Sauber), a 84s2
10) Adrian Sutil (Force India), a 84s6
11) Pastor Maldonado (Williams), a 88s4
12) Esteban Gutierrez (Sauber), a 97s8
13) Valterri Bottas (Williams), a 105s
14) Jean-Eric Vergne (Toro Rosso), a 106s3
15) Mark Webber (Red Bull), a 1 volta
16) Giedo van der Garde (Caterham), a 1 volta
17) Max Chilton (Marussia), a 1 volta
18) Jules Bianchi (Marussia), a 1 volta
19) Charles Pic (Caterham), a 1 volta

Não completaram:
Paul di Resta, Romain Grosjean e Daniel Ricciardo

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP de Cingapura
Tipo de artigo Últimas notícias