Vettel minimiza chances de ser campeão em Cingapura

Atual campeão adota discurso de focar apenas em seu trabalho e compara situação ao GP de Abu Dhabi do ano passado

Vettel só pensa em fazer sua parte: vencer em Cingapura

Números, possibilidades e contas. No paddock em Cingapura os jornalistas tratam de relembrar de cinco em cinco minutos o que precisa acontecer para que Sebastian Vettel se transforme no mais jovem bicampeão do mundo da história da Fórmula 1. Ele, no entanto, dá de ombros.

“Não penso nisso. Vamos dizer que estou ciente, já que há muitas pessoas me lembrando disso. De certa forma, em diferentes proporções, me lembra Abu Dhabi, no ano passado, quando o paddock tremia e havia umas 4.672 possibilidades para a corrida. Acho que no fim você tem de se focar no que tem em mãos e no que você pode controlar” disse o alemão, em entrevista acompanhada pelo TotalRace, em Cingapura.

Se em 2011 o atual campeão do mundo não sofreu com contratempos, no ano passado houve alguns casos que servem de lição para que Vettel adote discurso moderado. “Fizemos uma grande corrida na Coreia e tivemos uma falha de motor. É algo que não estava em nosso controle. Em Abu Dhabi tivemos a possibilidade de vencer e vencemos. O que os outros fariam não estava em nossas mãos. Acho que é mais ou menos o que temos aqui, em proporções menores”.

Considerado um dos eventos mais nobres do ano, apesar de apenas três anos de história, o GP de Cingapura geraria uma grande festa ao campeão em uma corrida que já termina lá pelas tantas da madrugada. Nada que parece seduzir o alemão. “Colocamos como meta para este ano vencer o Mundial. Mas não colocamos onde faríamos isso, se em Cingapura, Japão, Índia. Independentemente de onde aconteça, temos razões para estar felizes.

“Não acho que essa corrida é mais especial do que as outras. É um capítulo entre 19. Acho que seria errado pensar no campeonato e o que pode acontecer no domingo”.

No fim da entrevista, Vettel mandou recado à equipe, tratando de evitar qualquer clima de já ganhou, mesmo todos sabendo que este é seu destino, seja onde for nas seis provas restantes. “Há muito trabalho pela frente. Não temos nada pronto ainda. Precisamos nos focar e fazer o nosso melhor no domingo”.

"Obviamente, em toda corrida você entende o porquê e há uma razão, caso contrário terminaríamos sempre na mesma posição. Acho que tivemos uma temporada muito forte este ano. A equipe aprendeu dos erros do ano passado. Toda corrida tem sua própria história e acho que eu estou conseguindo ter mais controle a maioria do tempo. Mark teve mais altos e baixos. Não tenho todas as corridas na minha memória, mas se começarmos a lembrar uma a uma eu posso dizer (onde estava a diferença). Em Monza, ele tentou passar Felipe, bateu e não terminou corrida. No fim, eu me foco no que está em minhas mãos, que são meu volante e meu carro".

Para ser campeão pelo segundo ano consecutivo, Vettel precisa vencer, Jenson Button e Mark Webber não completarem no segundo lugar e Fernando Alonso ficar fora do pódio.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP de Cingapura
Pilotos Sebastian Vettel
Tipo de artigo Últimas notícias