Vettel vence em Suzuka pela terceira vez e cola em Alonso

Alemão fica a quatro pontos de rival; Massa conquista 1º pódio desde o GP da Coreia de 2010

Sebastian Vettel se firmou como sério candidato a novo rei de Suzuka, circuito em que largou na pole em todas suas quatro provas e no qual sempre terminou no pódio. O alemão conquistou, de ponta a ponta, sua terceira vitória no traçado japonês e lucrou com o abandono de Fernando Alonso, para diminuir a diferença na ponta pelo campeonato de 29 para apenas quatro pontos a cinco etapas para o final do Mundial. Além disso, marcou seu segundo grand chelem da carreira, obtendo pole, vitória liderando todas as voltas e volta mais rápida. O primeiro foi no GP da India de 2011.

Outro grande destaque da prova foi Felipe Massa, conquistando o segundo lugar após largar em décimo e chegando ao pódio pela primeira vez em 35 provas, desde o GP da Coreia de 2010. Correndo em casa, Kamui Kobayashi foi terceiro e garantiu seu primeiro pódio na Fórmula 1.

A exemplo de seu outro único abandono até aqui na temporada, Fernando Alonso ficou na primeira curva após chocar-se com uma Lotus. Desta vez, no entanto, o espanhol teve o pneu traseiro esquerdo furado após um leve toque com a asa dianteira de Kimi Raikkonen, um dos pilotos que ganhou com a largada acidentada: pulou de sétimo para quinto.

Quem mais lucrou foi Felipe Massa, que pulou de décimo para quarto. Vettel manteve a ponta, à frente de Kobayashi e Button, que veio de oitavo. Heikki Kovalainen também aproveitou de ir de 17º para 11º. Isso porque Romain Grosjean tocou em Mark Webber, obrigando o australiano a trocar o bico. Recebeu um stop and go de 10s pela manobra. Na confusão, Nico Rosberg também abandonou ao chocar-se com Bruno Senna, que perdeu a asa dianteira e levou o drive through pela manobra.

Os acidentes levaram o Safety Car à pista. Na relargada, Perez, que era sexto, tenta ultrapassar Raikkonen, mas o finlandês não dá espaço e o mexicano vai parar fora da pista, perdendo posições. O piloto da Sauber abriu caminho no pelotão, ultrapassando Hamilton para voltar a ameaçar Raikkonen.

Após dez voltas completadas, Vettel era primeiro, com 6s8 de vantagem para Kobayashi. O japonês era seguido por Button, Massa (a 0s8 do inglês), Raikkonen, Perez, Hamilton, Hulkenberg, Maldonado e Ricciardo. Bruno Senna estava em 16º.

As primeiras paradas começaram na 13ª volta, com Button e Raikkonen. Na volta seguinte, foi a vez de Kobayashi, enquanto Massa e Perez tentavam acelerar para superar, respectivamente, o inglês e o finlandês.

O líder Vettel parou na volta 17 e foi seguido por Massa, enquanto Kobayashi e Button lutavam com Ricciardo. O ritmo forte do brasileiro o fez sair na frente dos dois, assumindo a segunda colocação, a 9s5 da ponta.

Também atrasando a parada, Hamilton passou Perez que, na tentativa de dar o troco na pista, perdeu o carro e ficou preso na caixa de brita, abandonando a prova. Após as primeiras paradas, Vettel era seguido por Massa, com Kobayashi em terceiro. Button, Raikkonen, Hamilton, Hulkenberg, Maldonado, Webber e Ricciardo completavam o top 10.

Após pagar a punição pelo acidente da largada, Senna voltou em 15º, entre Vergne e Grosjean. Enquanto isso, Hamilton reclamava, cinco voltas depois de parar, que seus pneus tinham acabado. Com isso, o inglês passou a sofrer a pressão de Hulkenberg.

Na 30ª volta, Raikkonen inaugurou a segunda rodada de pit stops. Hamilton e Kobayashi seguem o finlandês na volta seguinte. O piloto da McLaren voltou lado a lado com a Lotus e conseguiu a ultrapassagem na primeira curva.

Os líderes aguentaram mais voltas na pista, com Massa parando na volta 37, uma antes de Vettel. Após as segundas paradas, os quatro primeiros se mantiveram os mesmos: Vettel, Massa, Kobayashi e Button. Hamilton, Raikkonen, Hulkenberg, Maldonado, que marcou seus primeiros pontos desde a quinta etapa, na Espanha, Webber e Ricciardo completaram o top 10.

Optando por um último stint com pneus macios, Bruno Senna passou a voar na pista e chegou a ser dono da volta mais rápida, conseguindo superar Grosjean em plena 130R na briga pelo 14º lugar.

Nas voltas finais, Button tentou uma aproximação a Kobayashi, que tinha pneus mais usados. O inglês chegou a ficar a menos de 1s da Sauber, mas o japonês defendeu bem a posição no pódio, primeira de um piloto do país desde Takuma Sato em 2004.

Com cinco provas para o final, Alonso tem 194 pontos, contra 190 de Vettel e 157 de Raikkonen. Hamilton é quarto, com 152. A próxima etapa é no próximo final de semana, na Coreia.

Resultado do GP do Japão:
1º) Sebastian Vettel, (Red Bull-Renault), 1h28min56s242
2º) Felipe Massa, (Ferrari), a 20s639
3º) Kamui Kobayashi, (Sauber-Ferrari), a 24s538
4º) Jenson Button, (McLaren-Mercedes), a 25s098
5º) Lewis Hamilton, (McLaren-Mercedes), a 46s490
6º) Kimi Raikkonen, (Lotus-Renault), a 50s424
7º) Nico Hulkenberg, (Force India-Mercedes), a 51s159
8º) Pastor Maldonado, (Williams-Renault), a 52s364
9º) Mark Webber, (Red Bull-Renault), a 54s675
10º) Daniel Ricciardo, (Toro Rosso-Ferrari), a 1min06s919
11º) Michael Schumacher, (Mercedes), a 1min07s769
12º) Paul di Resta, (Force India-Mercedes), a 1min23s400
13º) Jean-Eric Vergne, (Toro Rosso-Ferrari), a 1min28s600
14º) Bruno Senna, (Williams-Renault), a 1min28s700
15º) Romain Grosjean, (Lotus-Renault), a  1 lap
16º) Heikki Kovalainen, (Caterham-Renault), a  1 lap
17º) Timo Glock, (Marussia-Cosworth), a  1 lap
18º) Vitaly Petrov, (Caterham-Renault), a  1 lap
19º) Pedro de la Rosa, (HRT-Cosworth), a  1 lap

Não completaram
Charles Pic, (Marussia-Cosworth), 39
Narain Karthikeyan, (HRT-Cosworth), 34
Sergio Perez, (Sauber-Ferrari), 19
Fernando Alonso, (Ferrari), 1
Nico Rosberg, (Mercedes), 1

Volta mais rápida: Vettel, 1min35s774

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP do Japão
Tipo de artigo Últimas notícias