Voltando à Mônaco, diretor da Manor lembra de Bianchi: “Vai ser difícil”

Monte Carlo foi onde o francês conquistou os únicos pontos da equipe Marussia em sua história na Fórmula 1

Para muita gente foi o que salvou o time de fechar as portas. No ano passado o francês Jules Bianchi conseguiu a façanha de pontuar com a Marussia no GP de Mônaco. Se aproveitando de vários problemas e das ruas apertadas do principado, ele fez uma corrida consciente para chegar em oitavo. No entanto, uma punição de cinco segundos por ter cumprido um drive-through durante um Safety Car o jogou para nono.

Voltar ao principado sete meses após o acidente que deixou o francês em coma, durante o GP do Japão de 2014, não vai fácil para a Manor-Marussia - que manteve o nome Marussia para ficar com a premiação em dinheiro dos pontos daquele dia. O diretor-esportivo do time, Graeme Lowdon, confirma.

“Não tenha dúvida, será um momento emocional para esta equipe", falou Lowdon ao site da Autosport.

"Muita gente na equipe está pensando nisso. Tenho certeza que vou pensar nisso, por isso vai ser difícil. Voltar lá vai nos lembrar de vários bons momentos com um companheiro de equipe que está atualmente no hospital. Haverá alguns momentos difíceis para todos na equipe, principalmente por causa de Jules é claro, mas também porque foi um fim de semana de corrida memorável pelo que conseguimos no final.”

"Obviamente, o resultado foi excelente para a nossa equipe, e realmente foi um esforço de equipe completo.”

"Cada esporte tem heróis, e em nosso esporte os pilotos são os heróis. Jules fez realmente uma grande corrida naquele dia."

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP de Monaco
Pista Monte Carlo circuito de rua
Pilotos Jules Bianchi
Equipes Manor Racing
Tipo de artigo Últimas notícias