Webber admite: não seguiu normas e não gostou delas

Australiano foi orientado a não atacar o parceiro Vettel nas voltas finais do GP da Grã-Bretanha, em disputa válida pelo segundo lugar

Cara feia: Webber não gostou de receber ordens para não passar Vettel

Na entrevista coletiva pós-GP da Grã-Bretanha, Mark Webber admitiu ter ficado descontente com a ordem da Red Bull de não atacar o companheiro de equipe Sebastian Vettel no fim da prova.

>> >> >> >> >> >>
Os dois disputaram a segunda posição nas voltas finais de forma ferrenha, e o australiano admitiu ter recebido diversas mensagens para manter a posição, mas preferiu não seguir as orientações.
 
"Não estou contente com isso. Esta é a resposta. Se Fernando [Alonso] abandonasse na última volta, estaríamos brigando pela vitória. Claro, ignorei a equipe, pois queria subir uma posição. Seb [Vettel] estava fazendo seu melhor, assim como eu. Não iríamos bater", reclama.
 
"Tentei fazer meu melhor com a quantidade de conversa de via única que estava tendo. Estava tentando passar o carro à frente", continua Webber, que disse ter recebido entre quatro e cinco mensagens para, na gíria das corridas, tirar o pé.
 
"Apenas queria correr até o fim. Com quatro ou cinco voltas para terminar, eles começaram a conversar comigo sobre segurar a posição. Queria os pontos, mas também queria somar mais do que tinha", resume o australiano, que, curiosamente, na edição de 2010 da prova, venceu e disparou via rádio: "Nada mal para um número 2".
 
Por fim, Webber elogiou a prova de Alonso e da McLaren, afirmando já estar esperando uma competitividade alta dos rivais. "A Ferrari, como vimos nas últimas corridas, andou muito, muito bem. A McLaren estava com problemas ontem, mas hoje andou bem. É difícil de saber o que acontecerá", completa.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Grã-Bretanha
Pista Silverstone
Pilotos Mark Webber , Sebastian Vettel
Tipo de artigo Últimas notícias