Williams contrata Pat Symonds para o lugar de Coughlan

Na dança das cadeiras da diretoria técnica, sai personagem do escândalo da espionagem e entra mentor de Cingapura

A Williams anunciou a contratação de Pat Symonds para o lugar de Mike Coughlan como diretor técnico da equipe. É a segunda mudança no cargo em dois anos.

Symonds estava na Marussia, sua porta de entrada após cumprir pena por ser um dos mentores da manipulação de resultados do GP de Cingapura de 2008. Com 30 anos de carreira, o britânico ganhou títulos com Benetton e Renault.

Coughlan, por sua vez, também cumpriu suspensão por ser uma das figuras-chave do escândalo da espionagem de 2007. Era ele quem recebia, na McLaren, os dados vindos da Ferrari, cedidos por Nigel Stepney.

Falando sobre a contratação, o fundador da equipe, Frank Williams, destacou a experiência vitoriosa de Symonds. “Estou feliz que Pat está chegando à equipe. Suas capacidades técnicas e sucesso esportivo falam por si e tenho certeza de que seu conhecimento e liderança vão contribuir consideravelmente para o sucesso que todos nós na Williams estamos trabalhando duro para atingir.”

Symonds começou a carreira na Toleman, no início dos anos 1980, antes de ir para o projeto Reynard F1, que acabou sendo abortado. O britânico, então, retornou a sua equipe, que agora se chamava Benetton, e se tornou engenheiro de pista de Michael Schumacher em seus dois títulos mundiais. Ainda no time de Enstone, renomeado Renault, Symonds venceu os campeonatos de 2005 e 2006, já como diretor técnico. Após cumprir sua pena, tornou-se consultor da Marussia.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias