"Ficou claro que pode jogar o cara para fora", esbraveja Nasr

Irritado, brasileiro disse que "esperava mais" do líder do campeonato, Palmer, após disputas em Budapeste

Felipe Nasr não gostou nada da maneira como seu rival pelo campeonato, Jolyon Palmer, disputou posições com ele durante o final de semana da Hungria na GP2. Os dois se encontraram nas duas provas de Hungaroring e, em ambas ocasiões, o brasileiro saiu perdendo.

Falando ao TotalRace logo depois da segunda prova, em que ficou em terceiro lugar, Nasr disse que esperava mais de um piloto que está na frente no campeonato. Após a rodada dupla da Hungria, Palmer tem 190 pontos, contra 149 do piloto da Carlin.

[publicidade]“Acho que ficou claro para quem está vendo. Ele é o típico piloto de GP2 que joga o carro para cima e não sabe deixar espaço. Eu simplesmente, pelo cara estar na frente do campeonato, esperava mais dele, não esperava que ele fizesse essas coisas. Foi assim na primeira corrida e na segunda também. Ficou claro: a partir de agora, se você estiver por dentro pode jogar o cara para fora, é simples, vale fazer isso”, criticou.
Nasr, porém, lembrou que talvez esse estilo mais agressivo não seja positivo a longo prazo, para quem pensa em ter uma vaga na Fórmula 1.

“Eu raramente me envolvo em um acidente, dificilmente estarei em um. Acho que tem muita gente – o Palmer, por exemplo – que vai para bater e, se o outro cara não tira... eu simplesmente acho que ficou claro que o tipo de corrida que as equipes de Fórmula 1 querem é limpa. Os dois lados têm de fazer isso e tanto ontem, quanto hoje, ele não fez. Para mim foi demais, não sei o que o pessoal aceita.”

Problemas com Palmer à parte, Nasr salientou a melhora do carro, especialmente em classificação. O brasileiro conquistou sua primeira pole position da carreira na GP2 em Budapeste.

“Foi muito positivo. Melhoramos muito o carro e conseguimos uma pole, algo que sempre faltou para o nosso carro: acho que encontramos o caminho para a classificação. Agora é levar isso para as próximas corridas. Ontem foi uma pena o Safety Car ter estragado nossa estratégia, caso contrário a corrida estava praticamente garantida, já tínhamos uma boa distância na frente. Então vamos manter o mesmo e lutar até o final.”

Quanto ao campeonato, apesar dos 31 pontos de diferença, Nasr segue confiante que pode levar a disputa até o final.

 “Tive algumas corridas em que não pontuei e isso pesou um pouco. Mas o positivo é que o carro está rápido e a equipe está animada. Há mais quatro etapas e tudo pode acontecer, não tem nada perdido ainda.”

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias GP2
Tipo de artigo Últimas notícias