Hélio Castroneves usa boa estratégia e vence em Edmonton

Brasileiro aproveita tática acertada da Penske e consegue segunda vitória do ano em prova marcada pela ausência de bandeiras amarelas

Hélio Castoneves

Hélio Castroneves pôs um final a seu ciclo de nove corridas sem vitória em 2012 e conquistou neste domingo o GP de Edmonton no Canadá. O brasileiro, que pulou para quarto na largada, se aproveitou de uma tentativa fracassada de Franchitti, para assumir o primeiro lugar de Tagliani no meio da prova, e superou o escocês duas curvas depois para ser segundo. Hélio havia já feito ultrapassagem em Sato depois da primeira parada de box, pelo terceiro lugar

No segundo pit stop, a equipe chamou Hélio mais cedo para parar, o que fez o brasileiro andar livre de pneus mais macios. Isso resultou na ultrapassagem a Tagliani quando o canadense foi para os pits. Hélio não mais perdeu o primeiro lugar.
 
O líder do campeonato, Ryan Hunter-Reay, sétimo colocado, começou bem a prova, mas não teve ação após as primeiras paradas. O americano foi ultrapassado por Power após o primeiro pit stop. O piloto da Penske voltou agressivamente para a pista o que deixou Hunter-Reay nervoso, pedindo uma punição que não veio para Will. “Isso é absolutamente ridículo. Vocês só podem estar brincando”, disse o piloto da Andretti Autosport no rádio para a equipe.
 
Takuma Sato finalmente voltou ao pódio após a SP Indy 300. Depois de vários abandonos nas últimas provas, o japonês fez corrida consistente em Edmonton levando seu carro da Rahal Letterman ao segundo lugar, colocando pressão em Castroneves nas últimas voltas, mas sem conseguir passar.
 
Dario Franchitti, pole positon, não fez boa prova. O escocês perdeu a ponta na abertura da segunda volta para Tagliani e jamais teve ritmo convincente para retomá-la. Quando tentou, foi ultrapassado por Hélio Castroneves. Mais adiante, foi ultrapassado por Sato, indo parar no quarto lugar, que depois virou quinto quando passado por Power na segunda parada. Alex e Dario ainda foram passados por Rahal no fim da prova.
 
Will Power fez ótima corrida de recuperação. Largando de 17º, graças a uma punição por ter trocado seu motor Chevrolet, o australiano trabalhou bem no primeiro stint conseguindo várias ultrapassagens até chegar atrás de Hunter-Reay, a quem superou após a primeira parada. Depois da segunda parada, Power conseguiu mais posições. O australiano ainda passou Alex Taglini na pista na volta 56 para chegar ao lugar mais baixo do pódio, onde finalizou a prova.
 
Tony Kanaan e Rubens Barrichello tiveram prova sem brilho. TK jamais esteve entre os primeiros e, pela falta de bandeiras amarelas, não pôde fazer sua tática de três paradas funcionar. Rubinho fez boa largada e chegou a ser o sexto. Porém, só perdeu posições nas paradas e chegou ao 14º lugar.
 
Os únicos a abandonar a prova foram Mike Conway e Oriol Servia. Com o resultado, Hunter-Reay ainda lidera o campeonato, seguido agora de Castroneves e Power.
 
Confira os dez primeiros da prova:
1 Helio Castroneves (BRA/Penske) 75 voltas
2 Takuma Sato (JAP/Rahal Letterman), a 0.9326s
3 Will Power (AUS/Penske), a 5.5714s
4 Graham Rahal (EUA/Chip Ganassi), a 7.1491s
5 Alex Tagliani (CAN/Team Barracuda), a 14.5480s
6 Dario Franchitti (ESC/Chip Ganassi), a 15.1704s
7 Ryan Hunter-Reay (EUA/Andretti Autosport), a 20.6184s
8 Ryan Briscoe (AUS/Penske), a 22.3454s
9 Justin Wilson (ING/Dale Coyne), a 25.7397s
10 Scott Dixon (NZL/Chip Ganassi), a 26.1889s
 
Confira classificação após 11 provas:
1 Ryan Hunter-Reay – 362 pontos
2 Hélio Castroneves – 339 pontos
3 Will Power – 336 pontos
4 Scott Dixon - 301 pontos
5 James Hinchcliffe – 286 pontos

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias IndyCar
Tipo de artigo Últimas notícias