Hunter-Reay aproveita novo vacilo de Power, fica em 4º e é campeão da Indy

Após ter 17 pontos de vantagem, Power bateu no muro e terminou com o vice pela 3ª vez seguida. Ed Carpenter venceu em Fontana

Ryan Hunter-Reay em Fontana

A história se repetiu pela terceira vez consecutiva. Will Power viu o título da Indy ficar muito próximo, mas errou em um circuito oval, acertou o muro e ficou apenas com o vice-campeonato, mesmo resultado obtido em 2010 e 2011. Desta vez o campeão foi Ryan Hunter-Reay, que nunca havia terminado uma temporada da Indy além do sétimo lugar. O piloto da Andretti chegou à etapa final em Fontana com 17 pontos de desvantagem, mas com o abandono do australiano somado a sua quarta posição, ultrapassou o adversário em pontos e conquistou o título.

O americano terminou o campeonato com 468 pontos, contra 465 de Power. Scott Dixon ficou em terceiro e Helio Castroneves em quarto. Foi o primeiro título dos EUA na Indy desde 2006, quando Sam Hornish Jr. levantou a taça. 

A vitória nas 500 milhas de Fontana ficou com Ed Carpenter, seguido pelas Ganassi de Dario Franchitti e Scott Dixon. Helio Castroneves terminou na quinta posição. Tony Kanaan, que bateu no muro e Rubens Barrichello, com problemas no motor, não completaram a prova.

O desfecho do campeonato foi bastante emocionante, com Hunter-Reay entrando no grupo dos cinco primeiros (posição que lhe daria o título) nas últimas voltas. Power tentou marcar o americano no começo da prova, mas sua estratégia se desfez quando acertou o muro. No finalzinho, dois acidentes ainda beneficiaram o americano. Um com Takuma Sato e outro com o brasileiro Tony Kanaan, da KV.

Kanaan até começou bem na corrida, pulando para a ponta logo na largada, mas pouco depois foi ultrapassado por Marco Andretti e JR Hildebrand. Rubens Barrichello, que largou em sexto, chegou a ser ultrapassado por Katherine Legge, mas com o passar das voltas foi adquirindo um bom ritmo e se aproximando da ponta.

Enquanto isso, a grande curiosidade da prova se voltava para as posições finais, em que estavam os postulantes ao título. Power, que largou em 13º, tratou logo de colar em Ryan Hunter-Reay, que havia largado mais atrás, em 22º. O australiano tinha uma vantagem de 17 pontos antes da prova e por isso estava mais preocupado em marcar o rival americano.

A prova seguiu nesse tom até a volta 56, quando Will Power praticamente colocou tudo a perder. Talvez com medo de tomar uma volta, já que ele e Hunter-Reay vinham num ritmo bem mais lento, o piloto da Penske resolveu acelerar. Ultrapassou o rival, mas pouco depois perdeu a frente, rodou e acertou o muro. “Peguei uma ondulação, deixei propositalmente o carro sair um pouco de frente, mas saiu demais e perdi o controle. A primeira coisa que pensei foi que joguei mais um campeonato longe”, disse um desolado Will Power logo após o acidente.

Como na Indy o piloto ganha 10 pontos só por largar, Ryan Hunter-Reay precisava chegar pelo menos na sexta posição para descontar os 17 pontos (27, com os 10 de Fontana para Power) de diferença. A partir daí Power passou apenas a torcer e, na pista, seus companheiros Helio Castroneves e Ryan Briscoe tentavam atrapalhar os planos do piloto da Andretti. Helinho, aliás, que acabou de renovar o contrato com a Penske.

Enquanto isso, fora do título mas na briga pela prova, Tony Kanaan e Rubens Barrichello estavam fortes. Rubinho relargou em terceiro após o acidente de Power e Tony era o quinto.

Pouco depois JR Hildebrand provocou mais uma bandeira amarela e enquanto os carros rodavam lentos, atrás do pace car, Katherine Legge acertou o carro do Justin Wilson. Na relargada, Tony e Rubinho caíram e Ryan Hunter-Reay, seguido por Helinho e Briscoe tentava se colocar entre os seis primeiros.

Ele estava em oitavo e era seguido por Rubens Barrichello, quando, na volta 108, o motor do brasileiro pegou fogo e nova bandeira amarela foi acionada. Pode ter sido o último momento de Rubinho na KV Racing. “Foi uma pena, o carro estava bom e acho que tinha uma boa chance de conquistar um pódio”, disse Barrichello. “Estava me divertindo bastante na corrida”.

Tony Kanaan relargou na segunda posição, logo atrás de Ed Carpenter, piloto especialista em ovais. Helinho vinha em quinto lugar e Hunter-Reay em oitavo, logo atrás de Briscoe, também companheiro de Will Power na Penske.

Will Power, aliás, conseguiu voltar para prova, quase 70 voltas atrás do líder. O objetivo era ultrapassar EJ Viso, que já havia abandonado, somar mais dois pontos e obrigar Hunter-Reay a chegar no mínimo em quinto lugar. E o americano da Andretti estava com dificuldade de entrar no grupo dos seis primeiros. Nesta altura, na volta 140º, Tony Kanaan era o líder e Helinho, o terceiro.

Após poucas voltas na pista, Power conseguiu ultrapassar EJ Viso e voltou aos boxes. Na frente, já na volta 175, Tony Kanaan, Scott Dixon, Takuma Sato, Helinho e Ed Carpenter eram os cinco primeiros. Hunter-Reay permanecia em oitavo.

Ryan Briscoe acertou o muro na volta 181 e provocou mais uma bandeira amarela. Após a intervenção, 12 pilotos relargaram na mesma volta, entre eles Ryan Hunter-Reay, em sexto. Tony caiu para sétimo e Helinho, 11º. Scott Dixon estava na ponta, seguido por Ed Carpenter e Dario Franchitti.

Faltando 50 voltas para o fim da prova, o campeonato continuava totalmente em aberto. Hunter-Reay permanecia na sexta posição, mas precisava chegar em quinto para levar o título. Power ficava na torcida pelos outros pilotos do lado de fora. Alex Tagliani, que vinha atropelando na reta final, assumia a ponta, seguido por Ed Carpenter e Takuma Sato.

A 20 voltas do final, Alex Tagliani quebrou e Hunter-Reay passou para a quinta posição que lhe daria o título. Na relargada, o piloto da Andretti ainda conseguiu passar dois adversários e assumiu o terceiro lugar, com Dario Franchitti em primeiro e Ed Carpenter em segundo.  Na volta 241, Tony Kanaan bateu no muro e a direção da prova resolveu interromper a prova, para que o campeonato não terminasse em bandeira amarela.

Após a bandeira vermelha, a corrida reiniciou com Dario Franchitti em primeiro, Ed Carpenter em segundo e Hunter-Reay em terceiro, faltando sete voltas para o final. Dixon então foi para cima de Hunter-Reay e assumiu o terceiro lugar. Logo depois foi a vez de Takuma Sato pressionar Ryan Hunter-Reay, mas o japonês mais uma vez perdeu o controle do carro no final e acabou batendo no muro na última volta. Bandeira amarela e Ryan-Hunter-Reay campeão, com a quarta colocação em Fontana.

Resultado da etapa de Fontana:

1º) Ed Carpenter (EUA/ECR), 250 voltas
2º) Dario Franchitti (ESC/Ganassi), a 1s913
3º) Scott Dixon (NZL/Ganassi), a 2s609
4º) Ryan Hunter-Reay (EUA/Andretti), a 3s047
5º) Helio Castroneves (BRA/Penske), a 4s193
6º) Graham Rahal (EUA/Ganassi), a 5s438
7º) Takuma Sato (JAP/Rahal), a 1 volta
8º) Marco Andretti (EUA/Andretti), a 1 volta
9º) Katherine Legge (ING/Dragon), a 1 volta
10º) Charlie Kimball (EUA/Ganassi), a 1 volta
11º) JR Hildebrand (EUA/Panther), a 2 voltas
12º) James Jakes (ING/Dale Coyne), a 2 voltas
13º) James Hinchcliffe (CAN/Andretti), a 3 voltas
14º) Wade Cunningham (NZL/AJ Foyt), a 4 voltas
15º) Simon Pagenaud (FRA/Schmidt), a 4 voltas
16º) Josef Newgarden (EUA/SFHR), a 6 voltas
17º) Ryan Briscoe (AUS/Penske), a 6 voltas
18º) Tony Kanaan (BRA/KVR), a 10 voltas
19º) Oriol Servia (ESP/Lotus/DRR), a 19 voltas
20º) Alex Tagliani (CAN/Barracuda), a 21 voltas
21º) Sebastian Saavedra (COL/Andretti) abandonou
22º) Rubens Barrichello (BRA/KVR) abandonou
23º) Justin Wilson (ING/Dale Coyne) abandonou
24º) Will Power (AUS/Penske) abandonou
25º) Ernesto Viso (VEN/KVR) abandonou
26º) Simona de Silvestro (SUI/HVM) abandonou

Classificação final do campeonato:

1º) Ryan Hunter-Reay, 468 pontos - Campeão
2º) Will Power, 465 pontos
3º) Scott Dixon, 435 pontos
4º) Helio Castroneves, 431 pontos
5º) Simon Pagenaud, 387 - Revelação do ano
9º) Tony Kanaan, 351 pontos
12º) Rubens Barrichello, 289 pontos
29º) Bia Figueiredo, 28 pontos
35º) Bruno Junqueira, 12 pontos

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias IndyCar
Tipo de artigo Últimas notícias