Pilotos da F-1 de olho na estreia de Barrichello na Indy 500

TotalRace falou com ex-companheiros do brasileiro e com Felipe Massa sobre a nova empreitada do piloto

Barrichello larga em 10º em Indianápolis

O final de semana não é apenas de gala na Fórmula 1, com a disputa do tradicional GP de Mônaco. Ainda mais quando um filho pródigo da categoria está se aventurando por outros territórios. Do outro lado do oceano, Rubens Barrichello se prepara para estrear na (não menos histórica) 500 Milhas de Indianápolis. E seus ex-colegas de pista estão de olho.

Em Mônaco, o TotalRace falou com ex-companheiros de Rubens e um dos melhores amigos que o brasileiro deixou no grid. Felipe Massa destacou a dificuldade de adaptação aos ovais, realidade completamente diferente da que Barrichello viveu em suas 19 temporadas na F-1.

“Eu acho que é uma corrida nova para o Rubinho”, opina o piloto da Ferrari. “Ele sofreu bastante para acertar o caminho, para aprender o jeito de acertar o carro. É bem diferente do que qualquer outro oval ou pistas em que corremos. Tem muita diferença de cambagem, acerto, pressão de pneu, que é 40 libras de um lado e 20 do outro, é totalmente diferente daquilo a que estamos acostumados.”

Massa está acompanhando de perto a jornada do amigo, que larga entre os 10 primeiros na prova deste domingo. “Vi os treinos pela internet e percebi que ele sofria muito para aprender, mas aprendeu. Na classificação foi um dia que ele conseguiu melhorar bastante e se classificou em 10º.”

O brasileiro destacou ainda as chances dos compatriotas Hélio Castroneves, Tony Kanaan e Bia Figueiredo. “O Helinho tem chances de ir muito bem, ele já ganhou três vezes e sabe muito bem o caminho certo, além de ser o melhor brasileiro (em posição de largada). O Tony fez um excelente resultado na classificação, mas poderia ter feito melhor, pois foi desclassificado na primeira saída dele. A Bia fez o melhor resultado dela, o 13º.”

Para o piloto da Ferrari, as posições de largada não significam muito em Indianápolis, e a luta pela vitória está aberta.

“É uma corrida em que tudo pode acontecer, em que a estratégia conta muito, vimos em vários anos o piloto menos indicado para vencer, vencendo. Treinar e correr são coisas bem diferentes, então desejo uma boa velha experiência para ele nessa sua primeira corrida de oval que está fazendo.”

Ex-companheiro de Barrichello na Ferrari, Michael Schumacher não se mostrou muito sensível à estreia do brasileiro na prova. “Qual a posição dele? 10º? Bom, espero que tudo corra bem.” Momentos antes, o alemão havia sido questionado sobre a presença de outro ex-colega das pistas, Jean Alesi, no evento, e demonstrou sua preocupação.

“Entendo a animação de Jean em voltar a correr de verdade. Ao mesmo tempo, desejo que dê tudo certo, porque todos sabemos que a Indy 500 é complicada e perigosa. Cruzo os dedos para que ele não tenha nenhum acidente grave, porque o prazer é uma coisa, mas também há a necessidade de continuar saudável.”

Último companheiro de Rubens na F-1, Pastor Maldonado acredita que a Indy 500 é tão importante quanto o GP de Mônaco. “Na verdade, não tenho muito contato com Rubens. Desejo tudo de melhor na Indy, é uma corrida muito especial, assim como o GP de Mônaco.”

Quem está na torcida por Barrichello é Nico Hulkenberg, com quem o brasileiro dividiu a equipe em 2010. “Troquei mensagens com ele logo antes de sua primeira corrida na Indy, desejando-lhe sorte e ele disse que ainda estava tentando se entender com o carro e com os desafios diferentes da categoria. Tenho seguido seus resultados.”

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias IndyCar
Pilotos Michael Schumacher , Felipe Massa , Pastor Maldonado , Nico Hulkenberg
Tipo de artigo Últimas notícias