Rossi estabelece recorde na Malásia: veja galeria especial

No GP da Malásia, Valentino Rossi supera Loris Capirossi e se torna piloto com maior número de largadas na história do Mundial de Motovelocidade

Valentino Rossi já colocou o nome na história do motociclismo por diversos motivos: títulos mundiais, períodos de dominância absoluta, performances e vitórias inesquecíveis e muito mais. No GP da Malásia, o italiano atingirá mais uma marca histórica: ao chegar a 329 GPs, Rossi superará Loris Capirossi e se isolará como o piloto com mais participações no Mundial de Motovelocidade.

O site oficial da MotoGP apresentou alguns números interessantes e que dão a dimensão dos feitos do italiano no Mundial de Motovelocidade:

- Ao participar de 328 etapas de um total de 866 GPs na história do Mundial, criado em 1949, Rossi esteve de 37,9% de todas as corridas da história da categoria; o circuito em que ele mais correu foi Jerez de La Frontera, com 20 largadas - considerando as três classes;

- Das 328 corridas disputadas até agora, Rossi esteve no pódio em 210 delas, o que dá um percentual de aproveitamento de 64%; se considerarmos as oportunidades em que o italiano terminou na zona de pontuação, o número sobe para 294 - e o aproveitamento para impressionantes 89,6%.

Confira a tabela com outros nomes do Mundial que ultrapassaram a marca de 250 largadas - incluindo Alex Barros, quarto piloto com maior número de participações na categoria:

Piloto Total de largadas MotoGP/500cc 350cc Moto2/250cc 125cc 80/50cc
Loris Capirossi 328 217   84 27  
Valentino Rossi 328 268   30 30  
Jack Findlay 282 157 83 34 6 2
Alex Barros 276 245   14   17
Angel Nieto 265 1   16 160 88
Brno Kneubuhler 264 71 46 52 86 9
Alex de Angelis 262 61   136 65  
Randy de Puniet 253 140   80 33  

Confira galeria especial com capacetes icônicos utilizados por Rossi:

GP da Itália, 2004

GP da Itália, 2004
1/10

Após dois quartos lugares em Jerez e Le Mans, Rossi resolveu rir de si mesmo em Mugello, apresentando um capacete com uma pintura imitando madeira e uma medalha com o número quatro em romano - segundo ele, há uma tradição na Itália que diz que quando um atleta chega em quarto em competições, recebe a 'medalha de madeira'. Com o firme desejo de se livrar das 'medalhas de madeira', Rossi venceu a prova.

Photo by: Yamaha MotoGP

GP da Itália, 2007

GP da Itália, 2007
2/10

Rossi teve um final de 2006 complicado, perdendo o título para Nicky Hayden na última prova e sendo muito criticado pela imprensa, que questionava se o italiano ainda estava com a cabeça na MotoGP. Esta pintura, com um coração no topo, foi um agradecimento aos fãs, que se mantiveram leais ao piloto, e uma resposta aos jornalistas. Ao vencer a prova, Rossi arremessou o capacete para o público.

Photo by: Yamaha MotoGP

GP da Holanda, 2007

GP da Holanda, 2007
3/10

Em Assen, a Yamaha promoveu o relançamento do '500', carro clássico da Fiat - que patrocinava a equipe - e Rossi fez uma pintura retrô, com alusões a ícones da cultura em 1957, ano em que foi lançada a primeira versão do carro da fabricante italiana.

GP da Itália, 2008

GP da Itália, 2008
4/10

Esta pintura é, sem dúvida, a mais icônica da carreira de Rossi: no topo do capacete, uma foto que, segundo o italiano, reflete como ele se sentia ao chegar na freada do final da reta dos boxes de Mugello - trecho em que os pilotos chegam em velocidades acima dos 320 km/h.

GP da Catalunha, 2008

GP da Catalunha, 2008
5/10

Para celebrar o início da Eurocopa de 2008, Rossi e a Fiat resolveram entrar no clima futebolístico: a moto do italiano ganhou as cores da Azzurra - modo como os italianos se referem á seleção de futebol do país - enquanto o capacete ganhou a pintura de uma bola.

GP de San Marino, 2009

GP de San Marino, 2009
6/10

O GP de San Marino de 2009 marcou o início de uma tradição em Misano, com a apresentação de capacetes especialmente criados para a prova 'caseira' de Rossi. Naquele ano, o italiano correu com uma pintura que exibia o "Burro", personagem do filme 'Shrek', no topo do capacete, em alusão ao erro - e consequente abandono - cometido em Indianápolis.

GP de San Marino, 2010

GP de San Marino, 2010
7/10

A pintura especial para o GP de San Marino de 2010 tinha dois significados: era a 'hora' de Rossi 'acordar' e voltar a vencer corridas e também deveria alertar o italiano para os horários de cada sessão, para que ele não se atrasasse - o próprio piloto fez piada com a falta de pontualidade.

GP de San Marino, 2013

GP de San Marino, 2013
8/10

Em 2013, Rossi prestou homenagem ao amigo Marco Simoncelli, morto em 2011, com um capacete que exibia a arte do disco 'Wish You Were Here', da banda britânica Pink Floyd.

GP de San Marino, 2014

GP de San Marino, 2014
9/10

Para 2014, o piloto resolveu homenagear os mecânicos da Yamaha, amigos próximos, mãe, namorada, gato e cachorro ao colocar reproduções das mãos, lábios e patas em mais uma pintura especial.

Photo by: Yamaha MotoGP

GP de San Marino, 2015

GP de San Marino, 2015
10/10

Neste ano, Rossi chegou a Misano como o líder do campeonato e o piloto a ser batido no GP de San Marino. Para ilustrar a situação, o italiano se colocou como o "peixe pequeno", contra os "tubarões" - Lorenzo, Marquez e as Ducatis.

Photo by: Yamaha MotoGP

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias MotoGP
Pilotos Valentino Rossi
Tipo de artigo Últimas notícias