Cacá Bueno: o homem que disputa quatro categorias mundo afora

Além da Stock Car, em que é bicampeão, piloto compete na GT3, Trofeo Línea e Super TC2000 na Argentina

Cacá: Vitória na Stock, líder do Super TC2000, campeão do Línea...

Tetracampeão da Stock Car. O currículo está aí para ninguém colocar defeito. Mas para se satisfazer – e aprender ainda mais – Cacá Bueno passará por uma verdadeira saga em 2012. O piloto da Red Bull na Stock competirá os campeonatos de GT3 e o do Trofeo Línea aqui no Brasil. E além de tudo, já disputa a Super TC2000 na Argentina, na qual é o atual líder do campeonato.

Em entrevista exclusiva ao TotalRace, Cacá contou como é correr em carros tão distintos como esses: “Tenho que trocar o chip”, brinca. “Apesar, lógico, de ter uma dificuldade de você saltar de carro para carro, ao mesmo tempo você tem um aprendizado melhor. Toda vez que eu vou para a Argentina, eu volto melhor. Enfrento pilotos que eu não encontro sempre e em pistas em que não corro muito, então, dirigir um tração dianteira, depois dirigir um carro de Stock, depois um GT3, que faz muita curva, que é cheio de auxílio... E isso faz com que você passe por muitas situações e esteja sempre aprendendo.”

“Não tenho vergonha de dizer que no GT3 eu tive um pouco de problema para me adaptar a esse tipo de tecnologia, como controle de tração. No TC2000 era parecido com o WTCC em que corri ano passado, então não tive grandes problemas. Não que eu aplique isso na Stock Car, mas estou sempre em atividade.”

O carioca multiuso dá um porquê de seu destaque no cenário automobilismo nacional. A chave está no número de vezes que ele se senta em um carro de corrida:

“Se eu estiver 100 dias por ano dentro de um carro de corrida, com certeza vou chegar ao fim do ano muito mais preparado tecnicamente do que um piloto que andou 30 dias, por exemplo. Eu vou disputar mais ultrapassagens, mais largadas, mais batidas. Optei em correr quatro campeonatos esse ano por causa disso. Não queria me acomodar. Está em tempo de dar uma reciclada e aprender ainda mais. Não que eu tenha tido dificuldade esse ano, mas com essa garotada nova e preparada, eu vi que estava ganhando não só na velocidade, mas também na técnica e na experiência. Eu precisava dar uma reciclada como piloto”, contou Cacá.

Recentemente na Argentina correndo nas ruas de Buenos Aires para um público de 800 mil pessoas, Cacá comentou um pouco como é esse novo carro da Super TC2000, campeonato que lidera com certa folga após duas etapas.

“O carro da TC2000 tem um pouco mais de tecnologia que um Stock Car. Tem tecnologia, mas não tem auxílios, não tem ABS, não tem controle de tração. Ele tem um câmbio borboleta de seis marchas no volante e tem acesso a muitos dados e sensores. Você tem recursos a mais. O som do motor é igual ao de um Fórmula 1. É um V8 de 2,3 litros e oriundo de dois motores de [Suzuki] Hayabusa e que gera 430 cavalos.”

E tentar aproveitar essa tecnologia na Stock não é muito viável, pois os carros são muito diferentes, mas para o Línea, por  exemplo, Cacá acha bem mais plausível.

“A forma de trabalho deles na parte de aquisição de dados é muito boa, mas seria muito mais adequado trazer para o Marcas ou para o Línea, que têm  tração dianteira e trabalham com mesma largura de pneu. Lá a gente corre com o Pirelli também. No fim das contas, ele é um Linea um pouco mais encorpado. O carro é mais forte que um WTCC, por exemplo, mas em comparação com o Stock Car é bem diferente.”

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Stock Car Brasil
Tipo de artigo Últimas notícias