Exclusivo: Cacá Bueno analisa mudanças no regulamento da Stock Car

Piloto diz gostar de algumas mudanças, mas bate forte em outras e acredita que classificação será problema; ouça!

Cacá Bueno e a versão 2012 de seu Stock Car (Crédito: Duda Bairros/Vicar)

Palavra de campeão vale muito. Ainda mais quando este piloto é o principal nome da era moderna de um campeonato. Conhecido por suas declarações fortes, Cacá Bueno fez uso da sua já tradicional sinceridade para analisar as mudanças no regulamento da Copa Caixa Stock Car de forma exclusiva para o TotalRace (ouça áudio no fim da materia)

Como toda grande alteração, algumas mudanças deixaram Cacá satisfeito, como o fim do playoff e do reabastecimento nas corridas, mas outras o deixaram bastante incomodados e ele bateu forte, como no uso do "push-to-pass" na classificação - algo cujo procedimento ainda não foi 100% definido até o momento - e na obrigação de os dez primeiros terem seus carros em regime de parque fechado. 
 
"Algumas mudanças agradaram, outras não. É apenas uma opinião. Às vezes se analisam muito os pontos positivos das mudanças sem analisar tão bem os pontos negativos que isso possa acarretar. Algumas mudanças vieram em boa hora, foram mais que testadas. É um esporte complicado, precisamos facilitar que as pessoas entendam, se envolvam e compreendam mais", afirma o piloto da Red Bull.
 
Como são muitos assuntos são abordados pelo piloto, as análises de cada mudança foram divididas em tópicos para facilitar o entendimento do leitor, que, se quiser, poderá ouvir as opiniões da própria boca de Cacá, em áudio disponibilizado no fim da matéria. 
 
Fim do playoff e do abastecimento
 
"O fim do playoff é extremamente positivo. O fim do reabastecimento era um show, mas alguns autódromos não tinham condições. E nem a gente sabia quem estava ganhando a corrida, tinha de fazer conta. Ficava difícil para a pessoa em casa e até no autódromo entender, e isso veio a facilitar."
 
Uso do push-to-pass na classificação
 
"Mas, ao mesmo tempo que facilitam, as pessoas complicam. A questão do push-to-pass na classificação, como o narrador vai explicar que um tem três, outro tem cinco. Só complica a transmissão. A classificação é ótima e não é transmitida; fazer ela mais emocionante não muda em nada. A corrida tem de ser de fácil compreensão. Não é uma crítica, mas tomara que até o dia da corrida se repensem algumas coisas."
 
"Esse negócio do push na classificação, como controlar... Já é difícil controlar 32 carros sem atrapalhar uns aos outros, então como controlar um carro 20 km/h mais rápido que o outro. Teremos um festival de reclamações na torre, por atrapalhar volta. Imagina o cara ver o pole, ler no jornal, aí chega na corrida não é o cara que está na pole. Anteciparam o problema em um dia. Criaram um monte de dificuldades sem benefício nenhum. Nossa corrida já é animada e algumas regras eu não gosto. Esta é a mais absurda."
 
Regime de parque fechado para os dez primeiros no grid
 
"O carro lacrado não é uma péssima ideia se tivéssemos 32 fiscais, e não temos. Como você controla que ninguém está mexendo no carro com 32 na pista ao mesmo tempo, sendo que posso consertar, abrir o capô, inverter os pneus, tirar para esfriar. É de difícil controle."
 
"Podendo mexer, nunca deu problema. O fato de uma equipe ter mais dinheiro que outra não muda. Como fazer uma coisa que não pode ser controlada? Ao restringir, você cria um problema de logística. Não gosto da ideia, não teremos capacidade técnica. Não que eu desconfie da capacidade dos fiscais, mas não temos 32 deles. É uma regra que deveria ser pensada antes de ser aplicada, pois vai causar problemas."
 
"Eu bato na tecla: para mim, no esporte, ganha o melhor, o mais meritoso. Você tem que bonificar o talento, a competência, o investimento, o trabalho e a dedicação. Não pode dar bônus, beneficiar a mediocridade, a incompetência. Os dez primeiros não podem e o resto pode. Estão dando bônus a quem não fez direito, e essa não é a alma do esporte."
 
Transmissão ao vivo e mudança na pontuação
 
"Tivemos mudanças ótimas que caminharam para frente. Vamos passar todas as corridas ao vivo, vamos poder explicar direito. Fico feliz com muita coisa, mas precisamos parar com essa ideia de nivelar por baixo. A pontuação faz um pouco isso. É regra do jogo, mas não é a que mais gosto, pois tira o valor da vitória e pode ocasionar um efeito psicológico em alguns pilotos. Eles já olharam a pontuação e viram que é vence o mais regular, e, com isso, podem entregar um show pior. Pode ter um efeito psicológico que não é positivo. Entendo o fundamento dela, para gerar um campeonato competitivo e ter mais pilotos na briga." 
 
Mudança na pilotagem do carro
 
"Será um outro tipo de corrida. Quase ninguém simulava e nestes testes todos fizeram. Todo mundo está com o foco na regularidade, em não quebrar, em analisar o desgaste das peças, dos pneus, em chegar. É um outro tipo de corrida, mais justa, com bonificação pelo mérito, pelo trabalho. Neste ano todos serão mais cautelosos, pois está claro, escrito no regulamento que o prêmio é para quem form mais regular e constante, não apenas o vencedor. Todo mundo se deu conta disso."
 
"Acho que isso até é a favor para mim, mas é muito arriscado, pois, se você quebrar duas, três vezes, está fora da briga. Não é tão bacana, pois não dá para recuperar ganhando corrida, dada a pequena diferença de vitória para o resto. Poder vir bem para mim, mas não para o espetáculo. Não tenho que pensar em mim, mas, sim, no espetáculo. Lutar pela vitória no fio da navalha é bem mais bonito que só ganhar a corrida."
 
Resumo da ópera
 
"Tivemos mudanças de parte técnica que criaram discussão, como a classificação, o push e as vistorias. O esporte tem que te oferecer, de início, igualdade. Na largada, todos precisam estar iguais. Mas tivemos mais mudanças positivas que negativas."

 

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Stock Car Brasil
Tipo de artigo Últimas notícias