Movimentações entre as equipes marcam prova baiana da Stock

Mico's Racing e Amir Nasr não participam de prova, enquanto a Scuderia 111 se garante com piloto local e paranaense renomado

Ricardo Sperafico ficou sem time e correrá pela 111 em Salvador

Depois da festa que foi a Corrida do Milhão, as coisas parecem que vão voltar ao normal na Copa Caixa Stock Car. E isso significa o grid voltará a ter somente 30 carros (isso se a AMG colocar Serafin Jr. ou outro competidor para dar três voltas e compor grid).

A Mico's Racing, que correu no Rio de Janeiro na vaga de Amir Nasr, fez sua última participação em Interlagos, com Jacques Villeneuve e Ricardo Sperafico. Já a Amir, que correu em São Paulo com Tarso Marques, também estará fora do grid.

Ou seja, uma etapa antes da definição do campeonato de equipes, já temos uma rebaixada, a Amir Nasr. A briga para ver quem foge da degola na outra vaga está entre a JF e a Bassani. O time de Jorge de Freitas está em situação delicadíssima, com dois pontos, enquanto a organização de Eduardo Bassani tem 14.

Contudo, JF e Bassani podem contar com outra desistência até o fim do ano. Depois do abandono do patrocínio do Banco BVA, a Scuderia 111 se vira como pode para conseguir o orçamento. Para Salvador, trocará os dois pilotos. Antonio Pizzonia e Alan Hellmeister, que correram em SP, deram adeus ao time.

Um dos que entram em substituição é Diego Freitas, baiano de nascimento, que em 2010 disputou a etapa local pela Mini Challenge. O ex-piloto de F-Renault e F-3000 europeia deve correr apenas esta prova, por enquanto.

O outro é Ricardo Sperafico, que disputou duas provas pela Mico's. Como sua equipe anterior foi embora e o paranaense tem patrocínio, a ida para a 111 representou um alívio para o time. Resta agora saber se a permanência de Ricardo é definitiva até o fim da temporada.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Stock Car Brasil
Tipo de artigo Últimas notícias