Piloto de testes da Bugatti conta como bateu um Veyron a 400 km/h

Modelo pré-série estava na pista de Nardo quando um pneu estourou

Este vídeo mostra os detalhes de um acidente que aconteceu durante o desenvolvimento do Veyron. O ano era 2002 ou 2003 em um domingo ensolarado e a Bugatti estava testando um protótipo do monstro com motor W16 na rápida pista de Nardo, de propriedade da Porsche. Atrás do volante estava o piloto de testes da marca, Loris Bicocchi, um ex-técnico e piloto da Lamborghini. Apenas como curiosidade, ele estava envolvido no desenvolvimento do antecessor do Veyron, o EB110. 

Durante um dos primeiros testes com o Veyron, ainda quando o supercarro era apenas "um suporte para o motor e câmbio", algo terrível aconteceu. Bicocchi foi fazer duas voltas no circuito italiano com o pé embaixo quando o pneu dianteiro direito estourou no fim das voltas. Neste momento, o carro estava em velocidade próxima dos 400 km/h. Ele bateu na barreira de proteção e o capô destruiu o para-brisas, dividindo-o em várias partes. 

Por "sorte", o pneu traseiro direito explodiu com o impacto no guard-rail, o que danificou a suspensão. Com isso, Bicocchi bateu na janela lateral, mas estava de capacete, o que quebrou o vidro. 

A provação estava longe de acabar, já que com a pressão na cabine, o piloto sofreu um trauma e ficou sem enxergar por um tempo. Se isso não fosse ruim o suficiente, fumaça começou a entrar na cabine por um buraco na traseira, que foi feito para conectar o motor com os computadores. O óleo do motor e do câmbio pegaram fogo, então dá para afirmar que tudo foi como um pesadelo. 

Ele tentou parar o Veyron, mas algo aconteceu com o sistema de freios após a batida. Sem freios e visibilidade, Bicocchi virou o volante em direção ao guard-rail para reduzir a velocidade. Por sorte, esta decisão funcionou e o Veyron parou. O que aconteceu depois? Cerca de 1,8 km de guard-rail amassado, o que a Bugatti acabou pagando para a administração de Nardo. 

Para sair do que sobrou do Veyron - que tinha estrutura de alumínio naquele momento - as portas estavam travadas, mas Bicocchi chutou algumas vezes e conseguiu deixar o carro. Depois de bater a 400 km/h, a estrutura provou ser forte mesmo após de diversos impactos. 

Mesmo depois deste acidente feio, Bicocchi voltou ao trabalho e testou também o sucessor do Veyron, o Chiron. 

Nota: Aperte o botão "CC" no vídeo para ver as opções de legendas.

 

 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Automotivo
Evento Motor1
Sub-evento Notícias Motor1
Tipo de artigo Últimas notícias