McLaren consegue título; brasileiros têm problemas mecânicos

Rob Bell, Shane van Gisbergen e Come Ledogar conquistam título, mesmo chegando na 30ª posição. Audi #3 de Jimenez, Baptista e Tambay sofre com suspensão

A Lamborghini #16 de Rolf Ineichen, Christian Engelhart, Mirko Bortolotti levou a melhor na corrida principal deste domingo pelo Blancpain Endurance Series, em Nurburgring, mas a festa ficou por conta da McLaren #58 de Rob Bell, Shane van Gisbergen e Come Ledogar, que ficou com o título da categoria em 2016.

Mesmo chegando na 30ª posição, eles contaram com o quarto lugar da Mercedes de Buhk, Baumann e Jaafar e garantiram o título por apenas um ponto de diferença.

O Audi #3, que conta com os brasileiros Sergio Jimenez e Rodrigo Baptista, além do francês Adrien Tambay, não teve um bom fim de semana. 

A classificação foi disputada em más condições climáticas, devido ao nevoeiro e pista úmida. O Audi #3 foi atrapalhado nas suas melhores tentativas de volta, por isso não foi possível passar do 39º lugar no grid – o trio terminou em 41º tanto no Q1 como no Q3, e não houve Q2 por falta de visibilidade.

Com tempo apenas nublado, coube a Tambay comandar o carro na primeira hora de corrida. Logo nos cinco minutos iniciais, antes de uma intervenção do Safety Car, o piloto Audi no DTM saltou dez posições e chegou a 29º. Aproveitando incidentes à sua frente, o francês subiu para 14º antes do primeiro pit stop.

Rodrigo Baptista assumiu o volante do Audi #3 e, com um ritmo sólido, se manteve durante quase todo o tempo de seu turno em 16º. O jovem piloto entregou o carro para Sérgio Jimenez em 17º - 15º na classe Pro. Um novo Safety Car deixou o pelotão embolado, o que possibilitaria a Jimenez um ataque em busca de mais posições. Mas aí um problema num amortecedor minou as possibilidades de um bom resultado. A equipe trabalhou intensamente, Jimenez voltou à pista mas entrou mais duas vezes nos boxes e retirou o Audi #3 da prova a 20 minutos da bandeirada.

"Hoje foi muita pena, porque o carro mostrou potencial. Nos treinos peguei tráfego em todas as voltas, e na minha volta mais rápida teve bandeira vermelha. Na corrida, houve um problema no amortecedor logo que peguei o carro. Dava para ter brigado pelo top10, mas paciência", disse Jimenez.

Com o pódio em Paul Ricard como melhor resultado no ano, Baptista terminou a sua primeira temporada na categoria Endurance entre os 20 primeiros num campeonato com quase 60 carros.

"Foi uma primeira temporada muito proveitosa. O desafio é enorme aqui com tantos carros e pilotos muito competentes. Era o segundo mais jovem da temporada e saio satisfeito por ter conseguido ir ao pódio pela primeira vez no Blancpain GT Series. Agora é pensar em Barcelona para terminarmos bem a temporada na categoria Sprint", acrescentou Baptista, 20. O piloto HTPro é o detentor da marca de piloto mais jovem a vencer na Copa Petrobras de Marcas, a segunda maior competição do automobilismo brasileiro.

Agora, Baptista e Jimenez voltam as atenções para a última corrida do Blancpain GT Series, categoria Sprint, em Barcelona (Espanha), daqui a duas semanas.

 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Blancpain Endurance
Evento Nürburgring
Pista Nürburgring
Pilotos Rob Bell , Shane van Gisbergen , Come Ledogar
Tipo de artigo Relato da corrida