Félix da Costa vence segunda corrida em Zandvoort e Farfus é segundo

compartilhar
comentários
Félix da Costa vence segunda corrida em Zandvoort e Farfus é segundo
Gabriel Carvalho
Por: Gabriel Carvalho
12 de jul de 2015 13:31

Português conquista primeiro triunfo na categoria praticamente de ponta a ponta, enquanto Farfus supera Spengler na estratégia para garantir o primeiro pódio do ano

Augusto Farfus, BMW Team RBM BMW M4 DTM
7 Bruno Spengler, BMW Team MTEK BMW M4 DTM
Antonio Felix da Costa, BMW Team Schnitzer BMW M4 DTM
Antonio Felix da Costa, BMW Team Schnitzer BMW M4 DTM
Augusto Farfus, BMW Team RBM BMW M4 DTM
Bruno Spengler, BMW Team Schnitzer, BMW M4 DTM, Mattias Ekstrum, Audi Sport Team Abt Sportsline, Audi RS 5 DTM,
Antonio Felix da Costa, BMW Team Schnitzer BMW M4 DTM
Marco Wittmann, BMW Team RMG BMW M4 DTM
Marco Wittmann, BMW Team RMG BMW M4 DTM
Mattias Ekström, Audi Sport Team Abt Sportsline Audi RS 5 DTM
Augusto Farfus, BMW Team RBM BMW M4 DTM

António Félix da Costa venceu a segunda prova, realizada neste domingo (12), da etapa de Zandvoort do DTM. Partindo da pole position, o português não deu chance aos adversários, mesmo sendo pressionado durante toda a corrida – na primeira parte, por Bruno Spengler; depois dos pit stops, por Augusto Farfus – e venceu praticamente de ponta a ponta, perdendo a liderança apenas durante a janela de pit stops.

Félix da Costa largou muito bem e se manteve na liderança. Farfus tentou superar Spengler, mas ficou por fora na primeira curva e não conseguiu o melhor traçado. No final da primeira volta, Maxime Martin, que vinha na 13ª posição, foi tocado por Edoardo Mortara e caiu para a o último posto.

Se com cinco voltas completadas não se via alterações nas cinco primeiras posições, a briga pelo penúltimo lugar entre Martin e Lucas Auer era intensa, com muitos toques. Na oitava volta o piloto da BMW conseguiu superar o representante da Mercedes no final da reta dos boxes.

Como a pista de Zandvoort é estreita, as ultrapassagens são raras. As maiores chances de ganhar posições, portanto, era na parada para troca de pneus. E quem abriu os trabalhos neste sentido foi Timo Glock, na 12ª volta. O líder do campeonato, Jamie Green, veio na sequência.

E a estratégia se mostrou válida para Glock, que voltou logo atrás de Bruno Spengler, que antes do pit stop ocupava o segundo lugar. Félix da Costa e Farfus pararam na 14ª volta. E o brasileiro se deu bem, apesar da troca de 4s2, pois conseguiu retornar à frente de Spengler.

Com 16 voltas completadas, Maximilian Götz, Mike Rockenfeller, Nico Müller e Timo Scheider ocupavam os quatro primeiros lugares, nesta ordem, pois ainda não tinham parado para trocar os pneus. Na volta seguinte, em uma confusão que começou com Wittmann e Auer, sobrou para Martin Tomczyk, que abandonou a prova. Rockenfeller assumiu a liderança na 18ª volta, superando Götz.

O piloto do #99 finalmente fez o pit stop no 21º giro. Ficar na pista por mais tempo não rendeu frutos para Rockenfeller, que retornou à pista na 18ª posição. Enquanto isso, Daniel Juncadella e Mortara se tocaram e o resultado foi o mesmo para ambos, que abandonaram a disputa. Com 23 voltas completadas, Müller foi aos boxes para fazer a troca, enquanto Götz fez o mesmo no giro seguinte.

Assim, a ordem dos cinco primeiros após os pit stops era a seguinte: Félix da Costa, Farfus, Spengler, Glock e Wittmann. Na volta 25, Tom Blomqvist foi punido com um drive-through por ter sido considerado o culpado no toque com Robert Wickens.

Farfus era mais veloz do que o português, mas não encontrava espaço para realizar a ultrapassagem. Os quatro primeiros andavam juntos, limitados pelo ritmo determinado por Félix da Costa. A cinco minutos do fim, algumas gotas começaram a cair em Zandvoort, mas nada que alterasse significativamente as condições do asfalto.

Com isso, Félix da Costa seguiu firme para a primeira vitória no DTM, seguido por Farfus – com o primeiro pódio da temporada – e Spengler completou o top-3. Glock, Wittmann, Pascal Wehrlein, Mattias Ekström, Cristian Vietoris, Adrien Tambay e Gary Paffett fecharam o grupo dos dez primeiros.

A próxima etapa do DTM acontecerá entre os dias 31 de julho e 2 de agosto, no Red Bull Ring. Confira a classificação final da segunda corrida em Zandvoort:

Pos. Piloto Fabricante  Tempo  Dif.
Antonio Felix da Costa BMW 1h02m07.601  
Augusto Farfus BMW 1h02m08.074 0.473
Bruno Spengler BMW 1h02m08.692 1.091
Timo Glock BMW 1h02m09.311 1.710
Marco Wittmann BMW 1h02m12.576 4.975
Pascal Wehrlein Mercedes 1h02m18.555 10.954
Mattias Ekstrom Audi 1h02m18.876 11.275
Christian Vietoris Mercedes 1h02m19.168 11.567
Adrien Tambay Audi 1h02m19.511 11.910
10  Gary Paffett Mercedes 1h02m19.848 12.247
11  Mike Rockenfeller Audi 1h02m20.262 12.661
12  Miguel Molina Audi 1h02m22.731 15.130
13  Jamie Green Audi 1h02m23.543 15.942
14  Paul Di Resta Mercedes 1h02m24.057 16.456
15  Timo Scheider Audi 1h02m24.454 16.853
16  Maximilian Gotz Mercedes 1h02m25.920 18.319
17  Maxime Martin BMW 1h02m37.309 29.708
18  Tom Blomqvist BMW 1h02m40.271 32.670
19  Robert Wickens Mercedes 1h02m59.836 52.235
20  Lucas Auer Mercedes 1h03m00.419 52.818
Próxima DTM matéria
Wittmann assume ponta na largada e vence em Zandvoort

Previous article

Wittmann assume ponta na largada e vence em Zandvoort

Next article

Félix da Costa: “nunca duvidei do meu potencial”

Félix da Costa: “nunca duvidei do meu potencial”
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria DTM
Evento Zandvoort
Sub-evento Corrida - domingo
Localização Zandvoort
Pilotos Bruno Spengler , Augusto Farfus , Antonio Felix da Costa
Autor Gabriel Carvalho
Tipo de matéria Relato da corrida