Wehrlein se diz surpreso com velocidade em volta ao DTM

Ex-piloto de F1, Pascal Wehrlein afirmou que não esperava ser tão competitivo em seu retorno ao DTM em Hockenheim.

Wehrlein retornou ao DTM pouco mais de dois anos após se sagrar campeão na categoria, tendo, depois disso, perdido sua vaga na Sauber para Charles Leclerc.

Ele, então, retornou ao DTM e afirmou que a nova suspensão simplificada e o pacote aerodinâmico fizeram com que a categoria tenha mudado significativamente desde que competiu por lá pela última vez. 

Wehrlein impressionou ao largar em 11º e escalar o pelotão até ser segundo, antes de um pitstop ruim o derrubar para 13º - ele, então, se recuperou até o sexto lugar. 

Depois de ter sido quinto colocado na primeira prova do fim de semana, Wehrlein admitiu que ficou surpreso com seu rendimento. 

“Estou feliz pelo primeiro fim de semana. Não esperava ser tão competitivo nas duas corridas”, disse o piloto ao Motorsport.com.

“Hoje [domingo] foi uma pena, porque eu não me classifiquei na frente. Na corrida, eu pude ver que a performance era muito boa. Eu alcancei todos os caras à minha frente e os ultrapassei.”

“Então, se a corrida tivesse sido um pouco mais longa, teria sido melhor para mim, porque a diferença após o pitstop foi bastante grande.”

“Eu tive de alcançar e ultrapassar mais um ou dois caras. O que é crucial no DTM é estar na frente na classificação, e, então, a corrida deverá ser mais fácil. Mas, se você larga em 11º como fiz, fica mais difícil.”

Wehrlein acrescentou que, mais para frente no campeonato, a Mercedes terá de escolher um piloto para apoiar na luta pelo título, e os pontos obtidos no começo da campanha poderão ajudá-lo a ser o escolhido.

“É um bom começo de temporada, e é exatamente o que eu queria alcançar. É importante se você tiver esses dois, três, quatro pontos a mais.”

“É importante tê-los e, então, haverá uma parte da temporada em que você precisa ser o primeiro ou segundo cara mais bem colocado da Mercedes. Tenho certeza de que os próximos fins de semana serão melhores para mim.”

No começo da semana, Wehrlein admitiu que teria de fazer seu cérebro compreender as velocidades mais baixas nas curvas se comparado à F1. 

“A meta é sempre guiar no limite. Há um limite para cada carro e isso não muda”, disse. 

“É apenas um pouco mais lento ou mais rápido – no meu caso, é mais lento que em 2015 [seu último ano no DTM] e bem mais lento que se comparado à F1. Também há uma grande mudança para mim, em mudar o estilo de pilotagem novamente para um carro de turismo.”

“A parte mais difícil de mudar o estilo de pilotagem é recuar e aceitar que você não pode ser mais rápido do que o limite do carro. Eu estava acostumado a guiar muito mais rápido em um carro de F1. O cérebro ainda pensa: ‘Eu posso ir mais rápido. Agora que tenho novos pneus, posso ir 10 km/h mais rápido.’”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias DTM
Evento Hockenheim
Pista Hockenheimring
Pilotos Pascal Wehrlein
Equipes HWA AG
Tipo de artigo Últimas notícias