15º, Nasr revela frustração com falta de aderência

Brasileiro não conseguiu passar do Q1, mas larga em 15º após punições a Fernando Alonso e Kimi Raikkonen

Felipe Nasr não terminou o sábado contente com o desempenho apresentado durante o treino classificatório para o GP do México. sem conseguir o equilíbrio adequado, o brasileiro sequer avançou para o Q2, enquanto Marcus Ericsson avançou com relativa facilidade para a segunda fase da classificação.

Nasr terminou o Q1 em 17º mas foi beneficiado com as punições para Fernando Alonso e Kimi Raikkonen - que largam em 18º e 19º no domingo - e subiu para o 15º posto no grid de largada. Ainda assim, o piloto da Sauber reclamou da falta de aderência, que o impediu de andar mais rápido.

“Foi uma classificação bastante complicada para mim, sofri com a falta de aderência. Na minha segunda tentativa no Q1 eu não tinha aderência na traseira, que escapava o tempo todo na entrada das curvas. Precisamos entender as razões que levaram a isso", disse.

"Largar dessa posição não é bom, mas a corrida será longa e farei o meu melhor para ganhar algumas posições", afirmou Nasr. 

Ericsson parecia apresentar um desempenho oposto ao do brasileiro, terminando o Q1 com um desempenho sólido, entre os dez primeiros. Veio o Q2, no entanto, e a performance não foi a mesma. Com isso, o sueco parte da 14ª posição.

"14º é um resultado decente, mas estou um pouco frustrado. No Q1 conseguimos extrair o máximo do carro, mas no Q2 eu sofri, especialmente no último setor da pista, no qual eu não tinha aderência na traseira. É importante destacar, no entanto, o fato de termos evoluído a cada sessão aqui", completou.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP do México
Pista Autodromo Hermanos Rodriguez
Pilotos Marcus Ericsson , Felipe Nasr
Tipo de artigo Últimas notícias