18º nesta sexta, Barrichello classifica dia como "normal"

Brasileiro elogia pneus macios, agradece carinho da torcida e diz não estar pensando em renovação de contrato no momento

Rubens Barrichello

A 18ª colocação no segundo treino livre para o GP do Brasil de Fórmula 1 não deixou Rubens Barrichello incomodado.

Em alto astral por correr literalmente em casa (sua avó morava colada ao circuito quando o piloto era pequeno), o brasileiro afirmou que o normal da Williams é andar em 13° lugar.
 
"Foi um dia muito normal, igual a toda nossa sexta-feira. Neste ano, não sei se é o cálculo da gasolina, temos lutado pela 13ª, 14ª posição na classificação. No P1 a gente anda com a gasolina mais parecida, mas à tarde ficamos nessas condições. Tudo muito normal", afirma.
 
Os compostos trazidos pela Pirelli também foram analisados pelo veterano de 39 anos: "Os pneus macios estão bons; os duros mais difíceis. Na verdade, a opção é mole e outro médio. O duro será duro de andar com ele, já o mole será mais usado por ser bem consistente."
 
Questionado mais uma vez sobre o futuro, Rubinho disse pensar no presente e demonstrou bastante carinho pelos torcedores: "A verdade é que não estou pensando no ano que vem, estou curtindo o fim de semana. A semana do GP do Brasil é a melhor do ano. Claro que guiar um carro ruim não é a coisa mais legal do mundo, mas tenho de tirar minha satisfação."
 
"Esse povo merece todo meu carinho e respeito. Eles que me empurram todos os anos e, se Deus quiser, continuarão empurrando. Por mais que a sexta-feira não tenha ido bem, sempre a situação de carinho muito legal", completa.
 
Seu parceiro de equipe, Pastor Maldonado, foi mais vago em sua análise: "Na verdade, é difícil dizer. Não sabemos o trabalho dos outros, no que diz respeito a gasolina e peso. A pista é superboa, rápida, gostei muito e me adaptei bem. A Williams tem melhorado na corrida, mas perdendo na classificação."
 
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias