"A F-1 é mais difícil do que imaginava", admite Grosjean

Mesmo com três pódios, o primeiro ano completo do francês na categoria foi marcado por acidentes nas primeiras voltas

Após seu primeiro ano completo na Fórmula 1, o francês Romain Grosjean admitiu que as coisas foram mais difíceis do que ele imaginava na categoria. Mesmo tendo conquistado três pódios, com o segundo lugar no GP do Canadá e o terceiro no Bahrein e na Hungria, o ano do piloto foi marcado pelos acidentes, sobretudo nas primeiras voltas.

 “Aprendi muito, mais do que achei que aprenderia. Mas o mundo da F-1 é mais difícil do que imaginava. Quando voltei, vi que havia uma montanha a escalar – e, após ter começado a escalar, vi o quão íngreme ela era.”

Após mostrar-se seguro em relação a sua permanência na Lotus no meio do ano, as atuações especialmente após o GP da Bélgica, quando foi suspenso por uma corrida por provocar o acidente que tirou Fernando Alonso, Lewis Hamilton e Sergio Perez, colocaram em dúvida sua continuidade na F-1. Tanto que, na segunda metade do campeonato, seu melhor resultado foi um sétimo lugar, enquanto seu companheiro Kimi Raikkonen chegou a vencer o GP de Abu Dhabi.

 “Não há lugar para piedade, mas isso é normal no esporte competitivo. As vagas na F-1 são escassas, não existem presentes”, afirmou ao jornal Le Matin.

Grosjean fechou a temporada em sétimo lugar, a 114 pontos do companheiro.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Romain Grosjean
Tipo de artigo Últimas notícias