Acertar carro de 2014 logo de cara é a meta da Ferrari

Diretor de engenharia reconhece dificuldade em lidar com refrigeração, mas não quer perder tempo "consertando" carro

Não é novidade que o grande desafio que as equipes vêm enfrentando no desenvolvimento do carro da temporada 2014 da Fórmula 1 é a refrigeração. Afinal, com o novo motor V6 e duas unidades de recuperação de energia, fica difícil gerar o arrefecimento necessário sem afetar a aerodinâmica.

Tendo isso em vista, o diretor de engenharia da Ferrari, Pat Fry, espera que seu time acerte logo de cara e evite perda de tempo consertando um projeto totalmente novo e que ainda tem muito a ser desenvolvido.

“Acho que é um daqueles anos em que você precisa desenvolver seu carro, e não ficar arrumando problemas de refrigeração. No começo de cada ano quando você erra em termos de refrigeração, muitos recursos são usados para consertar os radiadores, carenagem e coisas do tipo”, explicou.

“A refrigeração sempre seria um desafio devido ao nível necessário para o carro do ano que vem e tentar integrar fisicamente tudo isso em um pacote compacto é desafiador. Acho que será interessante e haverá algumas diferenças dramáticas nos carros. Acho que haverá gente muito ocupada.”

O inglês lembrou que erros custaram caro para equipes grandes na última grande mudança de regras, em 2009. Tanto a Ferrari, quanto a McLaren começaram a temporada longe da briga pelas vitórias e custaram a se recuperar.

“Tenho certeza de que fizemos isso aqui [na Ferrari] no passado e também em minha ex-equipe [McLaren], e perdemos os primeiros meses. Com as mudanças de 2014 isso será ainda mais dramático – e as oportunidades para errar são imensas. Tomara que tenhamos acertado, mas muita gente vai coçar a cabeça em Janeiro”, espera o engenheiro.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias