Ainda insatisfeita, Honda busca avanços para ganhar potência

Japoneses dizem que o foco e melhorar desempenho de motor de combustão interna e admitem que o progresso feito até o momento no retorno à Fórmula 1 ainda não é suficiente

Desde que retornou à Fórmula 1, na temporada passada, a Honda sofre com a falta de potência do motor - Fernando Alonso e Jenson Button sofreram significativamente durante as corridas em 2015, especialmente no final das retas - além dos problemas de confiabilidade.

Para superar tais dificuldades, a fabricante redimensionou o compressor após o final da temporada passada e, a julgar pelas corridas em Melbourne e Sakhir, houve avanços. Tendo resolvido os problemas de confiabilidade, a Honda agora busca mais potência para diminuir a desvantagem em relação aos rivais.

“É difícil dizer, mas nos concentramos na confiabilidade em primeiro lugar e creio que melhoramos nesta área, apesar do problema com Button no Bahrein", disse Yusuke Hasegawa, chefe da Honda na F1.

“Agora, nosso foco é melhorar a combustão interna, pois sabemos que a potência que temos hoje não nos permite ir ao Q3. É o que posso dizer no momento, mas creio que nossa performance atual é razoável", afirmou.

Quando questionado se o ritmo atual é o que a Honda esperava antes do início da temporada, Hasegawa se mostrou relativamente satisfeito. "É quase o que esperávamos. Estamos na posição que esperávamos, não é muito bom mas aceitável, creio."

Tokens

A Honda ainda tem 14 dos 32 tokens disponíveis para utilização em 2016 e existe a possibilidade que alguns sejam utilizados antes do GP da Espanha. Hasegawa foi claro quanto ao foco no aumento de potência e acredita que as melhorias na combustão interna vão beneficiar todas as áreas do motor.

“Potência e combustão, precisamos melhorar nessas áreas. Ainda temos uma deficiência em velocidade de reta, então isso é tudo", disse.

Apesar dos problemas com Button no Bahrein, Hasegawa diz que a fabricante está satisfeita por não ter que focar o desenvolvimento para superar a falta de confiabilidade.

“Deveríamos utilizar os tokens para obter mais potência do motor e para entregar essa potência da maneira apropriada. Não precisamos utilizar os tokens para melhorar a confiabilidade. Precisamos, sem dúvida, fazer mudanças para obter mais performance. Uma vez que conseguimos potência, pudemos modificar outras áreas para confirmar nossa confiabilidade. Creio que potência sempre vem junto com a confiabilidade, é assim que deve ser", completou.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Equipes McLaren
Tipo de artigo Últimas notícias