Algo mudou na Mercedes depois da Bélgica, acredita Prost

Francês usa suas experiências com Lauda e Senna para explicar como funciona dinâmica entre companheiros

O controverso toque de Nico Rosberg em Lewis Hamilton no GP da Bélgica mudou a história do campeonato para o tetracampeão Alain Prost. O ex-piloto acredita que a dinâmica da disputa interna da Mercedes não é a mesma desde o incidente.

De lá para cá, Hamilton venceu quatro provas seguidas e tomou a liderança do companheiro, que agora está 17 pontos atrás.

[publicidade] Prost usou suas próprias experiências com o chefe Ron Dennis, na McLaren, onde teve duelos com Niki Lauda e Ayrton Senna, para justificar sua tese.

“Ron era muito forte, mas ele sempre mostrava uma pequena preferência. Eu tinha a vantagem em determinado momento – mas você não percebe exatamente quando isso acontece – quando eu estava com Niki. Mas quando eu erava como Ayrton e tínhamos um problema, Ron sempre mostrava [a preferência por Ayrton]. Não a equipe, mas Dennis.”

Por suas experiências, o francês acha “estranha” a dinâmica da Mercedes depois que Rosberg teve de pedir desculpas pelo toque na Bélgica.

“Não sei o que aconteceu depois de Spa, mas parece estranho. Não sei se dá para dizer que é uma preferência, mas algo mudou. Dá para sentir, não dá para ver. E com uma sensação você não sabe se é verdade, mas quando você está dentro de uma equipe e pode sentir algo – verdadeiro ou não – você começa a sentir que perdeu. Um pequeno detalhe pode mudar o clima.”
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias