Alonso confirma que deixa a Fórmula 1 ao fim de 2018

compartilhar
comentários
Alonso confirma que deixa a Fórmula 1 ao fim de 2018
14 de ago de 2018 15:15

Piloto publica vídeo dizendo que não correrá temporada de 2019 pela categoria e continua mistério sobre destino

O espanhol Fernando Alonso confirmou nesta terça-feira (14) que não irá competir na Fórmula 1 na próxima temporada, abandonando assim - pelo menos provisoriamente - a categoria que o consagrou como bicampeão mundial em 2005 e 2006.

Em tom de despedida, o piloto publicou este vídeo em suas mídias sociais.

 

Fernando Alonso, que completou 37 anos em julho, está disputando sua 17ª temporada de F1 e acumulou neste tempo 32 vitórias, 22 pole positions e 97 pódios até o momento. Além de seus dois títulos (o mais novo da história em 2005 a conseguir tal feito), Fernando foi vice-campeão por três vezes.

Alonso vinha pensando no futuro de sua carreira em meio à frustração de não ser competitivo na McLaren nos últimos anos.

O espanhol foi autorizado a não correr o GP de Mônaco 2017 para fazer sua estreia nas 500 Milhas de Indianápolis. A McLaren disse que não poderia repetir sua participação na Indy nesta temporada, mas deu permissão a Alonso para combinar seus esforços na F1 com uma temporada completa no Mundial de Endurance. Alonso ganhou as 24 Horas de Le Mans na primeira tentativa com a Toyota neste ano.

E com duas vitórias no GP de Mônaco e a vitória em Le Mans, ele precisa apenas vencer a Indy 500 para conseguir a "tríplice coroa" do automobilismo.

Alonso fez sua estreia na Fórmula 1 em 2001, dirigindo pela Minardi, antes de se mudar para a Renault como piloto de testes na temporada seguinte em uma preparação para correr na temporada de 2003. Ele desempenhou um papel fundamental ajudando a fabricante francesa a subir na F1, conquistando sua primeira vitória na Hungria em 2003 e depois se tornando o mais jovem campeão mundial em 2005.

Alonso superou a lenda da Ferrari e heptacampeão mundial Michael Schumacher na temporada seguinte, conquistando a segunda coroa consecutiva. No entanto, a carreira de Alonso na F1 esteve em declive desde então.

Ele se mudou para a McLaren em 2007, mas uma rivalidade com o novato Lewis Hamilton e uma disputa política interna na equipe após o caso de espionagem McLaren-Ferrari permitiram a Kimi Raikkonen roubar o título de ambos na última corrida. Alonso voltou para a Renault, mas não foi competitivo em 2008 e 2009.

Alonso foi para a Ferrari para a temporada de 2010, mas jamais conseguiu ser campeão. O time de Maranello jamais pode dar o melhor carro para o espanhol. Apesar disso, Alonso acumulou 11 vitórias com a Scuderia e lutou pelos títulos de 2010 e 2012.

Alonso saiu da Ferrari após 2014, quando o time italiano não foi bem na primeira temporada com a tecnologia híbrida. Ele mudou para a McLaren em 2015, tentado pela missão de recuperar a equipe com a Honda.

No entanto, a McLaren-Honda jamais foi competitiva e não era confiável desde o começo. Alonso passou a maior parte das três temporadas entre 2015 e 2017 lidando com vários problemas mecânicos e frustrações.

A McLaren decidiu se separar da Honda no final de 2017 e acordou o fornecimento de motores da Renault, o que o time e Alonso esperavam que fizesse a performance melhorar. No entanto, a equipe foi superada confortavelmente pela Red Bull e pela Renault neste ano. Isso levou Alonso a repensar sua estadia na F1.

Próxima Fórmula 1 matéria
Toro Rosso revela dificuldades com atualizações

Previous article

Toro Rosso revela dificuldades com atualizações

Next article

Alonso admite que decisão foi tomada “há alguns meses”

Alonso admite que decisão foi tomada “há alguns meses”
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Tipo de matéria Últimas notícias