Alonso se surpreende com pódio: "Estamos na briga"

Espanhol chegou no top 3 pela primeira vez na temporada, mas quase ficou na primeira curva após toque com Massa

Depois de ser apenas o nono colocado no GP do Bahrein, até o próprio Fernando Alonso ficou surpreso com o terceiro lugar na China. Terceiro no campeonato, o espanhol conquistou seu primeiro pódio na temporada e comprovou a evolução do ritmo da Ferrari neste final de semana.

“Foi um bom final de semana, estávamos mais competitivos”, reconheceu o bicampeão. “É uma boa surpresa, finalmente, estar no pódio. Sou terceiro no mundial, o que mostra que, apesar de não termos tido o início de campeonato que gostaríamos, ainda estamos na briga.”

Mas a corrida de Alonso poderia ter terminado na primeira curva, quando o espanhol se tocou com a Williams de Felipe Massa. “Foi um contato bem forte. Pedi para checarem o carro porque ele parecia ok, mas não sabia como estava por fora, e estava tudo bem. Tivemos sorte que o carro estava inteiro. Tomara que na próxima tenhamos uma largada normal.”

Mesmo contente com o pódio, Alonso evitou cravar que a Ferrari se tornou a segunda força no campeonato. O time havia ficado com o nono e décimo lugares na etapa anterior. “Precisamos nos manter calmos. A China é uma pista única, que desgasta os pneus dianteiros. Trouxemos novas peças e nos sentimos um pouco mais competitivos, mas precisamos de mais novidades”, cobrou o espanhol. “Eu pessoalmente tive um final de semana muito bom, provavelmente no ritmo de 2012 em termos de pilotagem e de me sentir confortável com o carro”, revelou o piloto, terceiro colocado também no mundial. 

O pódio de Alonso foi considerado encorajador por seu companheiro Kimi Raikkonen, que chegou em oitavo, alegando problemas com o carro durante todo o final de semana.

“O resultado do Fernando é muito encorajador e demonstra que estamos nos movendo na direção certa, mas este foi um fim de semana muito difícil para mim. Desde sexta-feira de manhã sofri com problemas que não conseguimos resolver completamente e hoje, na corrida, não consegui obter o resultado que eu queria. O início foi bom, ganhei dois lugares, mas não tinha ritmo para ir além”, analisou o finlandês, que reclamou principalmente da falta de aderência.

“Não tinha aderência, nem nos pneus da frente, nem nos de trás. No último stint, com pneus novos, o carro melhorou, mas em seguida eles se desgastaram e a situação se complicou novamente. Acho que as dificuldades que encontrei aqui resultam de uma combinação de vários fatores: o meu estilo de condução, as baixas temperaturas e as
características da pista”, definiu.
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias