Ameaça de fortes chuvas na Malásia reabre a discussão de segurança quanto aos pneus de chuva

compartilhar
comentários
Ameaça de fortes chuvas na Malásia reabre a discussão de segurança quanto aos pneus de chuva
Por: Vinicius Alves
24 de mar de 2015 14:45

Após o acidente de Jules Bianchi no GP do Japão do ano passado, pouca coisa foi feita para aumentar a segurança dos pilotos

O GP da Malásia é conhecido por ter altas temperaturas e chuvas torrenciais. E neste ano a previsão para o final de semana é de chuva, o que levanta a preocupação com a segurança dos pilotos. Após o acidente de Jules Bianchi no GP do Japão o ano passado pouco foi feito para melhorar esse aspecto na categoria.

[publicidade]Todo esse problema vem pois os pneus de chuva fornecidos pela Pirelli, não suportam um volume muito grande de água, o que impede que uma forte chuva, semelhante a que cai na região do circuito de Sepang, tenha corrida normalmente.

As equipes, a Pirelli e até a Associação dos Pilotos (GPDA) já pediram encarecidamente para a FOM e a FIA, autorizarem um teste extra com pneus de chuva, o que acabou não acontecendo, pois nos testes de pré-temporada, não houve dias de muita chuva.

O chefe esportivo da Pirelli, Paul Hembery já deixou claro que para conseguir melhor desenvolvimento de pneus de chuva, eles precisam ser testados: “Nós sempre dizemos que devemos testar exaustivamente pneus de chuva antes do início da temporada, pelo menos uma vez, de preferência em uma pista que pode ser completamente encharcada, como Le Castellet ou Fiorano", disse. Hembery se refere a essas pistas, pois elas contém um sistema que pode molhar a pista artificialmente.

A maior crítica dos pilotos é que os pneus intermediários são
muito diferentes dos de chuva, ou seja, se uma pista está um pouco molhada em um trecho e muito molhada em outro, os compostos não funcionam na volta inteira, o que dificulta muito a dirigibilidade.

Lewis Hamilton, um dos líderes da GPDA diz que os pneus de chuva não são seguros e pede mudanças: “Não é segredo para eles que não são os maiores pneus de chuva que temos conhecido. Precisamos trabalhar duro para manter o carro na pista”, comenta.

Segundo a FIA, já foi recomendado que a fornecedora de pneus realize mais testes na chuva, o que não foi possível fazer na pré-temporada.
Próxima Fórmula 1 matéria
Relembre último caso de piloto processando equipe para correr na F-1

Previous article

Relembre último caso de piloto processando equipe para correr na F-1

Next article

Após problemas na Malásia, Red Bull volta a usar freio de 2014

Após problemas na Malásia, Red Bull volta a usar freio de 2014
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Vinicius Alves
Tipo de matéria Últimas notícias