Americano quer comprar a Manor e mira pelotão intermediário

Grupo de investimento americano quer comprar a equipe e transformá-la em time médio da F1

Tavo Hellmund, homem que ajudou o circuito de Austin a trazer a Fórmula 1 de volta para os EUA, trabalha ao lado de um grupo de investimentos com planos de comprar a Manor. A intenção dos investidores seria injetar um considerável capital na equipe, para fazer com que a atual lanterninha do grid se transformasse em time médio.

No entanto, as negociações se tornaram incertas após as recentes saídas dos chefes Graeme Lowdon e John Booth da Manor. Falando ao jornal Austin American-Statesman, Hellmund confirmou que a ideia de comprar a equipe não foi concretizada, mas que as negociações estariam evoluindo rapidamente.

"Eu acho que se nós chegarmos até o fim de janeiro ou fevereiro, será muito tarde, e meus parceiros e eu provavelmente perderíamos o interesse", disse.

Ele acrescentou que os planos - que foram aprimorados pelo fato de que a Manor tem um acordo para ter motores Mercedes no próximo ano - seriam bons o bastante para colocar o time no pelotão intermediário.

"Nós nunca vamos gastar US$ 400 milhões por ano, como Mercedes, Red Bull, Ferrari e McLaren. Mas eu acho que podemos disputar a competição de maneira respeitável e não ficar no vermelho", disse.

Hellmund não é o único a negociar a compra da Manor. Investidores asiáticos também se manifestaram no mesmo sentido recentemente. Eles teriam oferecido entre US$ 50 e US$ 40 milhões a Stephen Fitzpatrick, dono da equipe, mas a compra foi negada.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Equipes Manor Racing
Tipo de artigo Últimas notícias
Tags james carney, tavo hellmund