Análise: largada com apenas uma mão traz F1 à velha escola

A F1 volta no tempo quando as luzes vermelhas se apagarem em Melbourne, como explicam Giorgio Piola e Matt Somerfield

Como parte do esforço da FIA em limitar a influência das equipes sobre as ações em pista, os pilotos se encontram limitados a usar apenas uma mão para operar o volante na largada.

Em agosto do ano passado, foi definido o escopo de novas restrições na tentativa de reprimir o crescimento de ajudas aos pilotos. A novidade começou no GP da Bélgica, mas foi completada agora no início da temporada 2016.

Mas, em meio a alguma incerteza sobre a definição exata de alguns dispositivos, especialmente com a opção de manter as pás duplas (como mostra a imagem acima da Ferrari), a FIA tomou medidas para assegurar que equipes e pilotos encontrem uma maneira de contornar as restrições.

Apenas uma mão

Em nota enviada para as equipes durante o inverno, o diretor de provas da F1, Charlie Whiting, deixou claro que o que a FIA irá julgar será o controle da embreagem dos pilotos no início de uma corrida.

"A menos que surja uma falha claramente identificada durante o processo de arranque, o piloto só poderá usar uma mão para operar uma única pá de embreagem para a largada", disse Whiting.

"Isto, contudo, não exclui a instalação de uma segunda pá, mas apenas uma poderá ser usada para o início, propriamente dito."

Ele acrescentou: "Onde as duas pás estão instaladas, nenhuma interação entre elas serão permitidas."

As novas restrições - aliadas àquelas sobre pontos de 'mordida' de embreagem - vai colocar muito mais ênfase nos pilotos para as largadas.

Aula de história da alavanca de câmbio

Por Giorgio Piola

A Ferrari começou com a tendência de ter pás atrás do volante, quando seu carro de 1989, o 640, foi o primeiro a utilizar uma caixa de velocidades "paddle-shift" semi-automática.

Esta era uma inovação técnica grande, naquele momento, como demonstra o desenho de Giorgio Piola.

Ferrari 640 steering wheel
Ferrari 640 volante

Foto: Giorgio Piola

A primeira equipe a colocar a embreagem no volante foi a McLaren, em 1994 - mas isso só foi feito no carro de Mika Hakkinen.

Seu companheiro de equipe, Martin Brundle,  e mais tarde, David Coulthard, mantiveram o os três pedais por preferirem frear com o pé direito (veja a comparação abaixo).

Hakkinen and Coulthard clutch pedals, 1994
Hakkinen e Coulthard pedais de embreagem

Ilustração por: Giorgio Piola

Alguns pilotos, como Heinz-Harald Frentzen, na Sauber em 1995, se sentiam confortáveis com a existência de apenas uma pá de embreagem no volante.

Frentzen's steering wheel, 1995
Frentzen volante, 1995

Ilustração por: Giorgio Piola

Enquanto Jacques Villeneuve tinha uma solução única em sua Williams de 1997. Como tinha sua embreagem no pedal esquerdo, a seleção de mudança de marcha feita inteiramente pela sua mão direita, puxando na direção dele para mudar a uma velocidade superior e empurrando para fora para mudar uma marcha abaixo.

Villeneuve's steering wheel, 1997
Villeneuve volante, 1997

Ilustração por: Giorgio Piola

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Análise