Análise: mudança na Red Bull não foi por erro em Sochi

Jonathan Noble, editor de F1 do Motorsport.com, explica o que levou a equipe austríaca a realizar troca no meio da temporada

Assim que a notícia da troca entre Daniil Kvyat e Max Verstappen veio à tona na manhã desta quinta-feira, muitos fãs e pilotos questionaram a decisão da Red Bull, se baseando apenas na prova de Sochi, no último domingo. 

Jenson Button chegou a escrever no Twitter sobre sua surpresa ao ver que o piloto que havia conseguido pódio no GP da China era o mesmo que estava sendo rebaixado.

 

Mesmo sendo uma decisão áspera, a realidade é que Helmut Marko, consultor da Red Bull,  já vinha pensando nela muito antes do desastre de Sochi.

Melhorar, mesmo estando bom

Kvyat chegou no lugar de Sebastian Vettel em 2015, e mesmo com alguns percalços de sua equipe com a Renault, algumas vezes ele mais do que justificou a sua continuidade para 2016.

Mas com a rápida ascensão de Max Verstappen e Carlos Sainz Jr. na mesma campanha ficou claro de que neste ano, o russo teria que ser superior. Marko chegou a declarar antes do campeonato em entrevista ao site da F1 que "quem não trouxer resultados, iria embora."

Fator Verstappen

Independentemente do que Kvyat estava fazendo, a Red Bull vinha enfrentando pressão extra a partir da contínua  melhora na carreira de Verstappen.

O talento do holandês era evidente desde que pisou em um carro de corrida e, embora tenha havido momentos de adversos (como em Mônaco em 2015 e Austrália 2016), ninguém tinha qualquer dúvida de que Verstappen seria promovido em 2017.

Na verdade, desde que Verstappen chegou à F1, sugere-se que seu contrato foi bastante claro: o terceiro e último ano de seu acordo com a Red Bull teria que ser na equipe principal ou ele poderia ser um agente livre.

Com potenciais lugares disponíveis no Mercedes e na Ferrari para o próximo ano, a possibilidade dos rivais buscarem o piloto era algo que precisava ser combatida.

Mano-a-mano com Ricciardo

Um ponto a favor de Kvyat, mas insuficiente para a decisão, é que desde quando se tornou companheiro de equipe em 2015 de Daniel Ricciardo, ambos tiveram resultados semelhantes, mesmo em provas em que o australiano saísse à frente.

Aqui está a comparação ao longo das 23 corridas que foram companheiros de equipe.

Daniel Ricciardo

 

Daniil Kvyat

0

Vitórias

0

2

Pódios

2

4

Voltas mais rápidas

0

128

Pontos

116

16

Duelo na classificação

7

10

Duelo nas corridas

11

 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Daniil Kvyat , Max Verstappen
Equipes Red Bull Racing
Tipo de artigo Análise