Análise técnica de Giorgio Piola
Assunto

Análise técnica de Giorgio Piola

Análise Técnica: A asa dianteira inteligente da Sauber

compartilhar
comentários
Análise Técnica: A asa dianteira inteligente da Sauber
1 de abr de 2018 12:03

Equipe suíça chega aos limites do design em conceito "agressivo" de novo carro

Depois de um 2017 difícil, com um carro complicado e motor Ferrari um ano atrasado, a Sauber espera uma temporada mais forte na F1, após reformular sua filosofia aerodinâmica e ter uma unidade de potência de última geração.

O time adotou algumas soluções radicais em áreas de seu C37 e aqui Giorgio Piola e Matt Somerfield observam como a Sauber está forçando os limites das regras em sua tentativa de avançar na no grid.

Charles Leclerc, Sauber C37

Photo by: Sutton Images

Uma das soluções inovadoras no C37 é o uso de asas na parte frontal superior. A estratégia foi adotada simultaneamente pela Mercedes e Toro Rosso na última temporada e ajuda o fluxo de ar a encontrar um caminho mais claro para os sidepods e na traseira do assoalho.

Isso também ajuda a limitar a turbulência do pneu ao lado e os danos que podem causar.

Esta é a primeira vez que essas pequenas aletas são usadas de forma tão agressiva na F1 na superfície superior, mas esta não é a primeira vez que as equipes testam esta área.

Em 2016, a Toro Rosso apresentou uma aba que pendia do garfo inferior, mas não tão complexa quanto a versão da Sauber.

Sauber C37 cooling inlets
Photo by: Giorgio Piola

A Sauber também fez um grande esforço na instalação de seu motor e explorou seu próprio caminho em termos de layout.

Em vez de escolher o baixo posicionamento da estrutura de impacto lateral lançada pela Ferrari e copiada por outros, a equipe de Hinwil criou várias entradas acima e abaixo da estrutura que modifica o perfil aerodinâmico do carro.

Charles Leclerc terminou em 13º no primeiro GP da Austrália, derrotando a Williams, de Lance Stroll, e apesar de seu companheiro de equipe, Marcus Ericsson, ter abandonado, no sábado o sueco estava apenas 0s054 segundo atrás durante o Q2.

O diretor técnico da Sauber, Jorg Zander, disse ao Motorsport.com: "Agora a equipe está tentando evitar uma situação em que os componentes mostram eficiência separadamente, mas eles não funcionam bem o suficiente."

"Temos muitas boas características no carro e elas funcionam e oferecem algum desempenho potencial", disse ele.

"O que temos que pedir é que todas essas características sejam harmonizadas em um nível melhor.”

"Isso tem mais a ver com uma melhoria no conceito geral, nós simplesmente não temos tempo suficiente para garantir que tudo esteja harmonizado, acho que se fizermos isso, poderemos ter mais potencial."

Reportagem adicional de Scott Mitchell

Próxima Fórmula 1 matéria

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes Sauber
Tipo de matéria Análise