Análise técnica de Giorgio Piola

Análise técnica: como serão os carros da F1 em 2017

Após a reunião dos chefes de equipe e dirigentes da Fórmula 1, as modificações na aparência dos carros para 2017 foi aprovada pela maioria dos times do grid; Giorgio Piola mostra como ficarão os carros

A F1 anunciou nesta quarta-feira (24) que as equipes do grid aprovaram um pacote de mudanças técnicas para a temporada 2017, o que deve apresentar carros cerca de três segundos por volta mais rápidos.

Embora todos os detalhes das mudanças ainda não tenham sido explicados e não seja totalmente impossível que ideias alternativas surjam até o prazo final para a decisão definitiva (30 de abril), os a categoria nunca esteve tão próxima da definição das regras para o próximo ano.

Ainda que exista muito pela frente antes de prever a reação das equipes, é possível avaliar o tamanho e o impacto das mudanças nos carros.

O que muda

Por Matt Somerfield

A visão geral das regras apresentadas mostra algumas mudanças radicais a caminho, que devem transformar significativamente a aparência dos carros. A largura da asa dianteira passa de 1650mm para 1800mm, assim como a dos pneus dianteiros aumenta em 60mm - de 245mm para 305mm.  

As propostas também prometem a simplificação das asas dianteiras. Não se trata apenas de uma mudança estética, mas algo que modificará como o ar se move ao passar pelos carros e como isso afetará o carro que vem atrás. Espera-se que isso gere um efeito positivo no sentido de permitir que os que vão atrás consigam seguir de perto quem vai à frente.

2016/2017 rules comparison

Illustration by: Giorgio Piola 

Carros mais largos

O aumento da largura não se resume à asa e pneus dianteiros. O carro como um todo fica 200mm mais largo, passando dos atuais 1800mm para 2000mm.

O desenho das suspensões, que já vinha sendo direcionado pela aerodinâmica, deve ter essa característica ampliada com as novas regras.

Os defletores laterais, que haviam sido significativamente reduzidos em dimensão com as regras de 2009, voltam a crescer - o que permitirá aos projetistas controlar mais o fluxo de ar que vai para os sidepods e para o assoalho - estes também terão a largura máxima ampliada em 200mm, ficando entre os atuais 1400mm e 1600mm.

Nico Rosberg, Mercedes AMG F1 W05 with flow-vis paint on the floor of the car

XPB Images

Formato do assoalho

As regras referentes ao assoalho também mudam, dando mais liberdade aos projetistas nesta área - o que significa que interpretações diferentes e interessantes podem surgir.

A prancha central do assoalho terá o material alterado para priorizar a redução de peso e terá o início recuado mais para a parte traseira do carro - hoje, a peça precisa estar a 330mm do centro das rodas dianteiras; em 2017 a distância aumenta para 430mm.

Isso terá impacto significativo na forma como as equipes regulam a parte dianteira dos carros e certamente influenciará na performance da asa dianteira, chegando a um efeito similar ao que as equipes tentaram alcançar com as asas flexíveis entre 2010 e 2011.

 

Scuderia Toro Rosso diffusor detail

Photo by: XPB Images

Difusor

As dimensões do difusor também mudam: a altura máxima sobe de 125mm para 175mm, enquanto a largura passa de 1000mm para 1050mm. Mas a mudança mais significativa é na inclinação da peça, que poderá se iniciar 175mm à frente do centro das rodas traseiras - este, o atual ponto de partida permitido.

Asa traseira

A asa traseira passa a ser mais baixa - de 950mm para 800mm - mas a largura aumenta de 750mm para 950mm.

O geometria das laterais também muda, com a aparência das asas traseiras ganhando um formato parecido com as dos carros da World Series 3.5 (imagem abaixo).

Os pneus traseiros também ficarão mais largos, passando de 325mm para 405mm.

Jazeman Jaafar, Fortec Motorspors

Photo by: Marc Fleury

 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Análise
Topic Análise técnica de Giorgio Piola