Análise técnica de Giorgio Piola
Assunto

Análise técnica de Giorgio Piola

Análise técnica: A Ferrari esteve fora do regulamento?

compartilhar
comentários
Análise técnica: A Ferrari esteve fora do regulamento?
Giorgio Piola
Por: Giorgio Piola
Co-autor: Matt Somerfield
8 de mai de 2018 12:37

As equipes da Fórmula 1 sabem que entregar um carro de sucesso pode vir com um preço, com rivais e críticos frequentemente sugerindo que um carro só é rápido porque a equipe encontrou alguma forma de vantagem injusta.

A Ferrari não foi exceção a isso, com rumores de queimas de óleo, tanques secundários de óleo e mapas de escape inteligentes - apesar de a FIA nunca ter encontrado nada desfavorável durante as verificações nas corridas.

Mas isso não impediu os concorrentes da Ferrari de examinar detalhadamente o design da concorrente, e um ajuste feito nos espelhos inovadores da equipe em Baku mostra o quão profunda tem sido a análise para garantir que tudo o que a equipe de Maranello está fazendo esteja dentro da lei.

Ferrari SF71H side pods, Australian GP

Ferrari SF71H sidepods, GP da Austrália

Foto: Giorgio Piola

Os espelhos do SF71-H já foram ponto de discussão nesta temporada, dado o seu design exclusivo em várias partes, permitindo que o fluxo de ar passe através deles e melhore o campo de fluxo no local.

No entanto, no Azerbaijão a equipe fez algumas mudanças sutis, a fim de cumprir integralmente os regulamentos, após algumas perguntas terem sido feitas por equipes rivais sobre se o projeto cumpria ou não rigorosamente a redação das regras.

FIA diaram
Diagrama FIA

Foto: FIA

Uma exigência do artigo 3.5.5 dos regulamentos técnicos é que nenhuma parte do carro na região à frente do sidepod possa ser vista de cima (como o marcado em vermelho no diagrama dos regulamentos técnicos da FIA).

As equipes frequentemente substituem essa regra usando o espelho e se utilizando de outra regra (artigo 3.5.2 a), que permite que eles o coloquem em áreas onde outras partes não possam ser usadas, para que possam "esconder" esses elementos embaixo.

Ferrari SF71H mirror
Ferrari SF71H retrovisor

Foto: Giorgio Piola

Poderia ter sido sugerido que os espelhos da Ferrari caíssem no artigo 3.5.5, já que o assoalho utilizado pela equipe neste ano pode ser visto entre a extremidade dianteira do sidepod/assoalho e a borda traseira do espelho quando visto de cima.

A Mercedes e a Red Bull também andam com assoalhos semelhantes, mas superam o elemento 3.5.5 ao ocupar toda a área com seu espelho, garantindo que os elementos de design inferiores não possam ser vistos.

Embora mover toda a parte traseira do espelho para trás fosse claramente uma opção para a Ferrari, ela também poderia com isso negar parte do efeito aerodinâmico geral que está tentando alcançar com seus espelhos.

Ferraro SF71H mirrors
Ferraro SF71H retrovisores

Foto: Giorgio Piola

Assim, com as rivais questionando a solução de espelho com a qual a Ferrari iniciou a temporada, a equipe optou por uma resposta diferente para garantir que não houvesse dúvidas de que seu carro seguia a letra da lei.

Ela acrescentou três abas à superfície superior/canto do espelho, protegendo o assoalho do carro caso ele fosse visto de cima.

Ferrari SF71H front wing end plate
Ferrari SF71H asa

Foto: Giorgio Piola

Mudanças na asa

Enquanto a mudança de espelho chamou a atenção, e quase certamente não teve impacto no desempenho do carro, houve outras mudanças introduzidas em Baku que trouxeram ganhos de velocidade.

Usando um novo design de asa dianteira para 2018, a equipe modificou os canais internos e posteriores no Azerbaijão, reduzindo-os a uma configuração de um elemento único em vez de dois [1].

A última parte do endplate é agora mais inclinada para o exterior, e apresenta um corte para forçar mais ar para fora e ao redor do pneu dianteiro [2]. Essas mudanças também resultaram na fixação da aba que fica na borda posterior do endplate, fixada na aleta de atrás [3].

Essas mudanças foram feitas em conjunto, pois afetam o fluxo de ar ao redor do pneu dianteiro.

No caso da aleta do endplate, seu movimento é agora governado pela rotação das aletas sob carga, que altera sua interação com a esteira da roda, potencialmente melhorando a força descendente e reduzindo o arrasto, dependendo da velocidade do carro.

Relembre a carreira de Gilles Villeneuve

 

Próxima Fórmula 1 matéria
VÍDEO: Relembre a carreira de Gilles Villeneuve

Previous article

VÍDEO: Relembre a carreira de Gilles Villeneuve

Next article

GALERIA: Veja 20 pilotos da F1 que nunca subiram no pódio

GALERIA: Veja 20 pilotos da F1 que nunca subiram no pódio
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Giorgio Piola
Tipo de matéria Análise