Após estreia “dura”, Hartley torce por nova chance na F1

compartilhar
comentários
Após estreia “dura”, Hartley torce por nova chance na F1
23 de out de 2017 13:19

Neozelandês, 13º em Austin, celebra ter recebido bandeirada em sua estreia repleta de aprendizados com a Toro Rosso

Daniil Kvyat, Scuderia Toro Rosso STR12
Brendon Hartley, Scuderia Toro Rosso STR12
Daniil Kvyat, Scuderia Toro Rosso and Brendon Hartley, Scuderia Toro Rosso
Brendon Hartley, Scuderia Toro Rosso STR12
Brendon Hartley, Scuderia Toro Rosso STR12 and Lance Stroll, Williams FW40
Brendon Hartley, Scuderia Toro Rosso, talks with Max Verstappen, Red Bull
Brendon Hartley, Scuderia Toro Rosso on the drivers parade
Stoffel Vandoorne, McLaren MCL32, Pascal Wehrlein, Sauber C36, Brendon Hartley, Scuderia Toro Rosso STR12
Brendon Hartley, Scuderia Toro Rosso STR12
Flo-Viz paint on the rear wing of Brendon Hartley, Scuderia Toro Rosso STR12
Brendon Hartley, Scuderia Toro Rosso STR12

Estreante na F1 no fim de semana, Brendon Hartley celebrou a experiência no GP dos Estados Unidos, mas já expressou seu desejo em repetir a participação futuramente na categoria.

O neozelandês, vencedor da última edição das 24 Horas de Le Mans, foi convocado para substituir Pierre Gasly em Austin. Sem conhecer o carro ou ter guiado um monoposto nos últimos cinco anos, Hartley precisou largar do fim do grid após pagar uma punição por troca de motor, mas recebeu a bandeirada em 13º, 27s atrás de Daniil Kvyat, seu companheiro de equipe.

“Foi duro! Mas foi incrível. Eu tirei a pressão sobre mim no fim de semana, mas ver a bandeirada quadriculada no GP de estreia foi incrível. Tive algumas batalhas duras por lá – a disputa com [Marcus] Ericsson no fim foi bem interessante, andando lado a lado por umas quatro ou cinco curvas seguidas”, comentou.

“É um carro muito rápido. Em curvas de alta, ele é chocantemente rápido. Não houve nenhum carro que foi tão rápido quanto esses em alta velocidade. E aprender os pneus... eles são tão diferentes do que eu estou acostumado. Eu não tenho experiência com os Pirelli, especialmente na classificação. Na corrida eu acho que administrei bem. Eu aprendi demais, porque foi a primeira vez que completei 20 voltas com um único jogo de pneus. Eu não tinha certeza de como seria, mas consegui tirar muita experiência. Então, ainda estou sorrindo.”

Contudo, Hartley admitiu que enfrentou dificuldades. “É difícil ter largado lá de trás. Não tive a melhor das largadas, mas é algo em que preciso trabalhar. Foi minha primeira largada parada que fiz em não sei quantos anos”, lembrou.

Perguntado se esperaria por uma nova oportunidade, Hartley não titubeou, embora reconheça que o futuro não esteja nas suas mãos: “Eu gostaria! Mas agora terei que ver. Eu realmente não sei.”

"Até o momento, eu não fiquei fazendo perguntas. E foi a mesma coisa quando a equipe me chamou para fazer o teste no simulador. Eu não queria saber, apenas fiz o trabalho, e foi assim que levei o fim de semana."

"Agora pode ser que haja algumas conversas. Eu realmente não sei, vocês terão de perguntar a eles [equipe]."Gasly deverá retornar ao cockpit da Toro Rosso no GP do México, já no próximo fim de semana. A equipe ainda não confirmou qual será sua dupla para a prova.

Próxima Fórmula 1 matéria
Grid Girls gaúchas travam batalha com texanas e australianas

Previous article

Grid Girls gaúchas travam batalha com texanas e australianas

Next article

Após performance “sublime”, Alonso diz não crer em falha

Após performance “sublime”, Alonso diz não crer em falha

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP dos Estados Unidos
Localização Circuit of the Americas
Tipo de matéria Últimas notícias