Após falhas, Renault desloca reforço para box da Red Bull

Chefe da montadora na Fórmula 1 diz que não procura desculpas e que “se orgulha” de reação apresentada pela fábrica

As frustrações da Red Bull com a confiabilidade da Renault chegaram a seu nível mais alto desta temporada no GP da Bélgica, quando Max Verstappen sofreu uma falha devido ao desligamento de um sensor de sua unidade de potência.

Chefe da Red Bull, Christian Horner disse que a Renault estava fornecendo um "serviço abaixo do esperado", rotulando o trabalho da fabricante de automóveis francesa na F1 neste ano como inaceitável.

A Renault aceita que não está fazendo um trabalho suficientemente bom e por isso implementou um plano de ação para garantir que as coisas melhorem no futuro.

Além de mudanças específicas em sua unidade de potência feitas a partir de Monza para erradicar os problemas que Verstappen sofreu, a fábrica deslocará pessoal extra se dedicando apenas à Red Bull para se concentrar na confiabilidade dos propulsores a partir da próxima corrida.

Diretor da Renault F1, Cyril Abiteboul disse ao Motorsport.com: "O primeiro tipo de resposta é que para todo tipo de incidente que Max teve - como qualquer outro piloto - há uma contra medida no lugar”.

"O último foi uma falha de sensor que tivemos em Spa. Existe agora um procedimento muito melhor e melhor documentado do que o que tínhamos.”

"Não é uma questão de pedir desculpas, porque isso deveria estar no lugar. Eu não estou à procura de desculpas. Deveria estar bom e agora está.”

"O segundo elemento é que, em termos de introdução de peças, fomos mais do que leais à Red Bull ao nos concentrar em disponibilizar as melhores peças - mesmo às custas da Renault. Nós sentimos que temos esse dever para com a Red Bull e para Max.”

"E a última coisa: em termos de pessoal, nós adicionamos mais recursos. Ainda não aconteceu, mas acontecerá a partir de Cingapura, quando teremos alguém dedicado a eles e mais alguém cuidando da confiabilidade e das operações.”

"Estamos reagindo, e estou bastante orgulhoso de como estamos lidando com essa situação."

Sem explosão

 Carlos Sainz Jr., Scuderia Toro Rosso STR12, stops his car as his engine smokes
Carlos Sainz Jr., Scuderia Toro Rosso STR12, para seu carro com motor fumando

Foto: Glenn Dunbar / LAT Images

A raiva de Verstappen sobre o ocorrido na Bélgica aumentou quando o holandês descobriu que seu motor foi religado na garagem depois.

Ele sugeriu que preferiria que as unidades de potência explodissem do que fossem desligadas pelos sensores - embora seja uma postura com a qual Abiteboul não concorda.

Quando solicitado a responder às sugestões da Verstappen, Abiteboul disse: "Sem comentários. Francamente, não entendemos por que o motor de Spa ainda está bom. Vai ser usado novamente”.

"Então, se ele tivesse explodido, significaria mais motores para introduzir e mais penalidades, então não tenho certeza se entendo."

Abiteboul também confirmou que os propulsores terão pequenas atualizações durante o resto da temporada, mas nada muito grande.

"Haverá algumas peças", disse ele. "Talvez ganhemos um pouco de desempenho, mas não vou entrar em detalhes. Mas haverá ganho de desempenho para todas as equipes."

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias