Após polêmica, Rosberg não dá chances a Hamilton e vence em Mônaco

Alemão vence de ponta a ponta e inglês termina apenas 0s4 à frente de Ricciardo; Massa é sétimo

A tensão era grande antes da largada, mas Nico Rosberg não deu chances para Lewis Hamilton dar o troco e venceu de ponta a ponta o GP de Mônaco, pelo segundo ano consecutivo. Mesmo com um problema no olho esquerdo, que prejudicou sua performance no final, o inglês foi o segundo, com Daniel Ricciardo chegando a apenas 0s4 da Mercedes. Em uma prova acidentada, Felipe Massa ficou longe das confusões e pulou do 16º lugar no grid para a sétima colocação.

[publicidade]A vitória devolveu a liderança do campeonato a Rosberg, que agora tem quatro pontos a mais que Hamilton. Outro grande destaque da prova foram os primeiros pontos da Marussia, em seu quinto ano de existência, com o nono lugar de Jules Bianchi.

A largada é limpa entre os companheiros de Mercedes. Mais atrás, Vettel superou Ricciardo e Raikkonen foi por fora na Ste Devote para se colocar entre as Red Bull. Com as Force India brigando pela décima posição, Button tentou colocar por dentro e acabou batendo com Perez. O mexicano ficou atravessado na saída da Mirabeau, trazendo o Safety Car para a pista.

Largando em 16º, Massa pulou para 13º ao final da primeira volta. Na relargada, Vettel teve uma queda de potência e foi ultrapassado por todos. Com 10 voltas completadas, Rosberg era primeiro, seguido por Hamilton, Raikkonen, Ricciardo, Alonso, Magnussen, Vergne, Kvyat, Hulkenberg e Button. Massa era 12º, atrás do companheiro Bottas.

O brasileiro ganhou uma posição com o abandono de Kvyatt enquanto, lá atrás, Sutil repetia a performance do ano passado e vinha fazendo fila passando Grosjean e Ericsson no hairpin.

A partir da 20ª volta, Hamilton começou a tirar a diferença para Rosberg lentamente. A distância sempre ficou abaixo de 2s mas, quando o alemão começou a travar os pneus principalmente na freada da Mirabeau, o inglês passou a ser um pouco mais rápido. Mais atrás, Ricciardo passou a pressionar Raikkonen na briga pela terceira posição.

Na volta 26, a festa de ultrapassagens de Sutil acabou no muro. Sozinho, o alemão perdeu o controle de sua Sauber na freada da chicane nova, trazendo o Safety Car para a pista. Os pilotos aproveitaram para fazer suas paradas nos boxes e Hamilton mostrou irritação pode não ter sido chamado antes. Isso porque, adotando a mesma estratégia do companheiro, seria difícil superá-lo.

Perto de seu primeiro pódio no retorno à Ferrari, Raikkonen teve de parar duas vezes durante o Safety Car após ser acertado por uma Marussia. Quem tentou uma estratégia diferente foi Massa, que seguiu na pista e subiu à quinta colocação.

A relargada foi dada na volta 30, com o top 10 formado por Rosberg, Hamilton, Ricciardo, Alonso, Massa, Magnussen, Vergne, Hulkenberg, Button e Bottas. Lá atrás, Raikkonen vinha abrindo caminho entre as nanicas.

Na ponta, Hamilton não deixava Rosberg escapar e mantinha a diferença em menos de 1s, com o alemão recebendo mensagens para economizar combustível. Na briga pelo terceiro lugar, Alonso também parecia mais ‘inteiro’ que Ricciardo e a diferença não passava de 2s.

Massa, apesar de mais lento, com os supermacios usados, não era pressionado por Hulkenberg. O brasileiro parou na volta 46 e voltou atrás de Raikkonen, em 11º, perdendo duas posições em relação ao que tinha antes do Safety Car.

Com pouco mais de 20 voltas para o final, Bottas passou a ficar lento e criou um ‘congestionamento’ com Gutierrez, Raikkonen e Massa. Com problemas de motor, o finlandês logo encostou. Com isso, Massa entrou na zona de pontuação.

Pressionado por Raikkonen, Gutierrez cometeu um erro na Rascasse e ficou atravessado no meio da pista. Hamilton chegou a se aproximar novamente, mas Rosberg logo reagiu. Entretanto, quem mais comemorou foi a Marussia, pela primeira vez com a chance real de Bianchi pontuar pela primeira vez, no quinto ano da equipe. 

Com 12 voltas para o final, Hamilton teve uma queda de ritmo e a diferença aumentou para cinco segundos. O inglês relatou um problema no olho esquerdo. Com isso, Ricciardo se aproximou perigosamente. Com quatro voltas para o final, a Red Bull estava a 0s5 da Mercedes.

No finalzinho, Raikkonen tocou no guard rail após disputa com Magnussen, que havia sido superado por Button, e teve de voltar aos boxes para trocar o bico. Com isso, Massa pulou para o sétimo lugar.

Mesmo colado em Hamilton, Ricciardo não conseguiu colocar de lado e chegou em terceiro, com Rosberg tranquilo vencendo pela segunda vez seguida em Mônaco. Fernando Alonso, mais de 20s atrás do Red Bull, foi o quarto, seguido por Hulkenberg, Button, Massa, Bianchi, Grosjean e Magnussen. Como o francês da Marussia recebeu uma punição que debita cinco segundos de seu tempo final, na classificação oficial aparece em nono.

A próxima etapa da Fórmula 1 acontece em duas semanas, no GP do Canadá.

Confira o resultado após 78 voltas:

1.  Nico Rosberg  (Mercedes) 1h49m27.661s
2.  Lewis Hamilton (Mercedes) +9.210s
3.  Daniel Ricciardo (Red Bull-Renault) +9.614s
4.  Fernando Alonso (Ferrari) +32.452s
5.  Nico Hulkenberg (Force India-Mercedes) +1 volta
6.  Jenson Button (McLaren-Mercedes) +1 volta
7.  Felipe Massa (Williams-Mercedes) +1 volta
8.  Romain Grosjean (Lotus-Renault) +1 volta
9.  Jules Bianchi  (Marussia-Ferrari) +1 volta
10.  Kevin Magnussen (McLaren-Mercede) +1 volta
11.  Marcus Ericsson (Caterham-Renault) +1 volta
12.  Kimi Raikkonen (Ferrari) +1 volta
13.  Kamui Kobayashi (Caterham-Renault) +3 voltas
14.  Max Chilton (Marussia-Ferrari) +3 voltas

Abandonos:

Esteban Gutierrez (Sauber-Ferrari) 59 voltas
Valtteri Bottas (Williams-Mercedes) 55  voltas
Jean-Eric Vergne (Toro Rosso-Renault) 50  voltas
Adrian Sutil (Sauber-Ferrari) 23  voltas
Daniil Kvyat (Toro Rosso-Renault) 10  voltas
Sebastian Vettel (Red Bull-Renault) 5  voltas
Sergio Perez (Force India-Mercedes) 0  voltas
Pastor Maldonado (Lotus-Renault) 0  voltas
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias