Arquiteto da F-1 revela intenção de ter salvado traçado original de Hockenheim

Tilke afirmou que ideia inicial era preservar a pista, mas restrições ambientais levaram à opção por reforma impopular

Mudança no circuito de Hockenheim aconteceu em 2002
Passada mais de uma década, a mudança no traçado de Hockenheim é algo que ainda incomoda muitos torcedores de Fórmula 1. A reforma encerrou o uso da pista de 6.823 metros que possuía longas retas passando pela floresta para um traçado menor, de 4.574 metros. O homem que comandou a mudança, o arquiteto alemão Hermann Tilke, revelou que a ideia inicial era deixar intacto o traçado original.

“O circuito de Hockenheim era uma pista veloz com retas longas. Era algo especial por ser um traçado incomum, e nossa ideia era resguardar o máximo possível da pista antiga. A ideia original era simplesmente alargar o traçado original para adaptá-lo às novas exigências de segurança, mas infelizmente isso se mostrou impossível”, disse Tilke ao site oficial da F-1.

A decisão pelo traçado alternativo acabou ocorrendo pela necessidade de reformar a pista no período de apenas um ano e, a pedido das autoridades locais, com o mínimo de impacto nas árvores do entorno do circuito. “A ordem era construir algo novo no mesmo espaço, tornar mais prático e interessante para os torcedores sem que isso afetasse a floresta”, revelou. Dentro do acertado no projeto da reforma, o asfalto da parte não mais utilizada do circuito foi destruído e a área, reflorestada.

Além da questão de segurança, a reforma em Hockenheim permitiu também a ampliação da capacidade do circuito com a construção de 37 mil novos lugares.
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Alemanha
Tipo de artigo Últimas notícias