Arquivos secretos revelam quanto a Austrália paga para sediar um GP

Segundo fonte inglesa, Aussies desembolsam, em média, US$ 35 milhões para ter o direito de ter a Fórmula 1 em Melbourne

O jornal inglês The Harald Sun teve acesso a documentos secretos que revelam o quanto os organizadores do Grande Prêmio da Austrália pagam – e vão continuar pagando – para Bernie Ecclestone até o fim do contrato, em 2015, para sediar uma corrida de Fórmula 1.

Segundo os documentos, que são datados de 2010, o montante total de dólares que é pago à FOM bate a marca de US$ 170 milhões, quase R$ 350 milhões.

Os documentos mostram que foram gastos pouco mais de US$ 31 milhões para a etapa de 2011 ser realizada. Em 2015 esse valor subirá para quase US$ 37 milhões, mostrando um aumento gradativo de quase 5% no decorrer dos anos.

Segundo consta, quem banca o GP é a população, que paga impostos para a organização da corrida. Para a prova deste ano o valor chegará a US$ 34 milhões.

Indagado a falar sobre os documentos secretos, o Chefe Executivo de Operações do GP da Austrália, o Sr. Andrew Westacott, preferiu não se estender no assunto, mas comentou que "nosso contrato é confidencial. Não estou em posição a comunicar quaisquer detalhes”. "Os moradores de Melbourne têm que saber que grandes eventos não nascem em árvores. Eles custam muito dinheiro para se fazer", concluiu.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias