Azerbaijão espera rever contrato “inaceitável” com a F1

Ministro do esporte se queixa do acordo vigente e espera que Liberty Media concorde em ajustar pontos para prorrogar corrida pelo menos até 2025

O ministro do esporte do Azerbaijão, Azad Rahimov, espera que o país consiga rever em breve os termos “inaceitáveis” do atual contrato que dá direto a sediar um GP de F1.

Desde 2016, a capital do país, Baku, realiza uma prova em um circuito de rua. O acordo foi fechado com a antiga gestão da categoria, liderada por Bernie Ecclestone.

Agora, Rahimov espera que as conversas se desenrolem de forma diferente com a atual administração, do grupo americano Liberty Media.

“Dentro de três meses depois do GP [de 2018], devemos dar uma resposta à liderança da F1 sobre se iremos prorrogar o contrato por mais cinco anos, até 2025”, disse o ministro, em entrevista à agência de notícias russa Tass.

“Todos entendem que o contrato que temos agora é inaceitável. Acho que a nova liderança da F1 entende assim também.”

Quando questionado sobre mais detalhes, Rahimov disse: “Estamos falando de uma série de condições comerciais, direitos de patrocínios e o preço que pagamos. Mas acho que tanto nós como a liderança da F1 temos o desejo de manter a corrida aqui”, disse.

A edição de 2018 do GP do Azerbaijão foi antecipada em relação às edições anteriores. Neste ano, a prova no local será realizada no dia 29 de abril.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias