Azerbaijão quer que Liberty melhore acordo a partir de 2021

compartilhar
comentários
Azerbaijão quer que Liberty melhore acordo a partir de 2021
Adam Cooper
Por: Adam Cooper
Traduzido por: Daniel Betting
25 de mai de 2018 14:28

Organizadores do GP do Azerbaijão pediram aos chefes da Fórmula 1 uma redução na taxa de sanção de corrida a partir de 2021

The Azerbaijan President Ilham Aliyev arrives, his entourage
Lewis Hamilton, Mercedes-AMG F1 W09 EQ Power+
Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W09
Brendon Hartley, Scuderia Toro Rosso STR13
Grid
Race action
Daniel Ricciardo, Red Bull Racing RB14
Pierre Gasly, Scuderia Toro Rosso STR13
Marcus Ericsson, Sauber C37 Ferrari, Pierre Gasly, Toro Rosso STR13 Honda
Stoffel Vandoorne, McLaren MCL33 Renault

O GP do Azerbaijão paga atualmente uma das maiores taxas das corridas do calendário, uma jogada que foi necessária para convencer Bernie Ecclestone a dar sua bênção e convencer as equipes da F1 de que Baku valeria financeiramente.

Ecclestone concordou com um acordo de 10 anos, com uma cláusula de pausa após cinco anos.

Tendo recebido três GPs até agora, o Azerbaijão está comprometido com os acordos atuais para os próximos dois anos, chegando à primeira metade do contrato original. No entanto, o país quer ter um acordo mais favorável para o segundo mandato de cinco anos, de 2021 a 2025.

A pressão por um preço melhor vem na esteira de um movimento similar de Hockenheim, cujo contrato para sediar o GP da Alemanha em temporadas alternadas termina este ano, e a notícia de que o GP de Miami terá um novo estilo de risco e compartilhamento de receita.

"Temos um contrato obrigatório por cinco anos, para cinco corridas, a partir de 2016", disse o promotor do Azerbaijão, Arif Rahimov. "Nenhum de nós pode quebrá-lo, a menos que concordemos em rompê-lo”.

"Não acionamos a cláusula de rompimento. Estamos negociando a segunda parte do contrato. Todos nós sabemos que precisamos melhorar os bits, então estamos nos esforçando para garantir que seja bom para nós e bom para a F1."

Desde que Liberty entrou, mais informações sobre o que as corridas pagam emergiram e, assim, os promotores têm uma ideia melhor do que os outros eventos geralmente pagam.

"Em geral, queremos estar perto da média. Agora que a informação é pública, acho que todo mundo sabe qual é a média", acrescentou Rahimov.

"Você tem alguns valores discrepantes para remover de ambas as extremidades, estatisticamente falando, mas obviamente queremos estar próximos da faixa intermediária”.

"Não podemos simplesmente tirar a média de todas as corridas, porque as corridas europeias pagam menos por várias razões, começando pela logística e pelo custo de operação etc”.

"Nós definitivamente queremos estar na média das corridas, essa não é a única coisa que estamos discutindo com a FOM, mas também a maioria dos outros termos comerciais do contrato. Eles querem tentar uma nova abordagem, é um esforço bilateral para torná-lo viável para todos nós”.

"Vamos tentar chegar a algo antes do final de junho, então acho que chegaremos a um acordo. Obviamente, estou pedindo uma melhoria que está afetando seus lucros, é bastante óbvio".

Next article
Apesar do "caos" de quinta-feira, Vettel não descarta a pole

Previous article

Apesar do "caos" de quinta-feira, Vettel não descarta a pole

Next article

VÍDEO: As soluções técnicas mais loucas para o GP de Mônaco

VÍDEO: As soluções técnicas mais loucas para o GP de Mônaco
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Adam Cooper