Barcelona se defende de críticas após hino catalão na F1

compartilhar
comentários
Barcelona se defende de críticas após hino catalão na F1
Pablo Elizalde
Por: Pablo Elizalde
17 de mai de 2018 13:57

Depois de ser acusado pela federação espanhola de incitar mensagem política, Circuito de Barcelona-Catalunha responde

Sean Bratches, Formula One Managing Director, Commercial Operations on the grid
Fans and Catalan banner
Grid
National Anthem is observed on the grid
Drivers observe the National Anthem on the grid
The grid stands to attention for the national anthem
Sean Bratches, Managing Director of Commercial Operations, Formula One Group, Thierry Antinori, Executive Vice President and Chief Commercial Officer, Emirates Airlines, and Chase Carey, Chairman, Formula One, stand opposite photographers with flight attendants
Max Verstappen, Red Bull Racing, Sebastian Vettel, Ferrari, Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1, and Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1, on the grid for the national anthem

Os hinos espanhol e catalão foram executados antes do início do GP da Espanha do último domingo, com as bandeiras espanhola e catalã também exibidas durante a cerimônia no grid de largada.

Os dois hinos são tocados na mesma cerimônia desde a primeira corrida de Fórmula 1 no circuito, em 1991, mas o presidente da federação espanhola, Manuel Avino, disse que ficou "surpreso" com o que chamou de mudança de protocolo habitual para enviar uma “mensagem política”.

"Obviamente, sendo o GP da Espanha, e desde que os regulamentos nomeiam o hino nacional no singular, isso não pode ser diferente na Espanha. O hino espanhol é o único hino oficial espanhol desde 1970", disse Avino em comunicado nesta semana.

"Não se espera que toque nenhum outro hino, por isso a presença na pista da bandeira catalã, e bem como o hino catalão, estão fora de lugar nesta cerimónia.”

"Essa alteração no protocolo foi dada a atual situação política, e entendida pela mídia e por um grande número de fãs de automobilismo como um claro uso da capacidade de comunicação do esporte para lançar mensagens políticas em um momento particularmente delicado para a Catalunha e a Espanha.”

"A federação espanhola não foi informada de que essa mudança de protocolo ocorreria e ficou surpresa.”

"Se a federação espanhola tivesse sido consultada sobre a possibilidade de alterar o protocolo, ela teria recusado a autorização – sempre com o maior respeito pelos símbolos catalães."

Nesta quinta-feira, o circuito de Barcelona respondeu às críticas, insistindo que o hino espanhol e o hino catalão são tocados no GP da Espanha desde a corrida inaugural. Isso inclui a edição do ano passado, quando Avino já estava atuando como presidente da federação espanhola.

"Desde 1991, no ano do primeiro GP da Espanha no Circuito de Barcelona-Catalunha, 14 minutos antes do início da corrida os dois hinos são tocados no grid", diz o comunicado.

"O protocolo para tocar os hinos sempre foi o mesmo: primeiro, o hino espanhol e, depois, o hino catalão.”

"Nesta cerimônia de abertura, e desde a primeira edição, as duas bandeiras também estão presentes: a espanhola e a catalã.”

"Em 2015, um novo formato foi introduzido, após um pedido da Fórmula 1, com uma cerimônia de mais solenidade, que se traduziu na presença das autoridades e dos pilotos na frente do grid e na frente das bandeiras.”

"O Sr. Avino testemunhou (este novo formato) pela primeira vez na temporada passada em seu papel como presidente da federação espanhola de automobilismo, com os dois hinos tocando e as duas bandeiras exibidas".

Próxima Fórmula 1 matéria
Alonso: McLaren já alcançou Renault e Haas

Previous article

Alonso: McLaren já alcançou Renault e Haas

Next article

Bottas quer renovação de “pelo menos dois anos” com Mercedes

Bottas quer renovação de “pelo menos dois anos” com Mercedes
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Pablo Elizalde
Tipo de matéria Últimas notícias