Berger desabafa sobre F1: "difícil de compreender"

Ex-companheiro de Ayrton Senna admite que a categoria precisa olhar para rivais como a MotoGP

Gerhard Berger desabafou sobre o atual momento da Fórmula 1. O ex-piloto austríaco afirmou que a categoria perdeu a magia do “ombro a ombro” que atualmente pode ser vista na MotoGP.

“Os pilotos lutam da primeira até a última volta, e quando você assiste a esses caras você pensa: ‘puxa, como esses caras fazem isso?’ Perdemos isso na F1”, disse Berger, em entrevista à TV austríaca Servus TV.

Berger, de 56 anos, foi diretor esportivo da BMW durante a parceria com a Williams e sócio da Toro Rosso, mas deixou a equipe no final de 2008, ano da única vitória da história do time.

“Talvez seja uma questão de gosto. Mas eu pessoalmente sinto falta daquela disputa piloto contra piloto quando se decidia na última volta por alguns segundos de diferença”, disse Berger.

Vencedor de dez corridas na F1 entre 1984 e 1997, Berger afirmou que a F1 deu alguns passos para trás nos últimos anos. O ex-piloto correu por equipes como McLaren, Ferrari e Benetton.

“A emoção está menor. É muito técnico e o regulamento muito complicado. Você precisa ser muito fã para entender o que está acontecendo”, disse Berger.

“Passei minha vida inteira neste esporte, mas passo parte do meu tempo tentando entender quando estou assistindo pela TV. Quando você é um fã e está assistindo corrida a cada duas semanas, você não tem tempo para ler tudo”, completou.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Gerhard Berger
Tipo de artigo Últimas notícias