Bernie critica novos motores silenciosos: "Completa farsa"

Executivo reclamou mais uma vez da adoção dos propulsores turbo, mas reconhece que temporada será imprevisível

Afastado do conselho que é dono dos direitos comerciais da F1, mas ainda dando as cartas na categoria, Bernie Ecclestone não poupou críticas aos novos motores adotados na competição este ano. Em entrevista ao Sportsmail, o executivo comparou os propulsores a uma “farsa”.

“Olhem esses primeiros dias! Eu disse que seria assim: um completa farsa”, esbravejou Bernie, reclamando da escolha da FIA e das equipes pelos motores V6 turbo. “Eles insistiram nestes motores novos. Se queriam correr assim, que fosse para Le Mans”, acrescentou.

A queixa do britânico é principalmente pela falta de barulho dos novos propulsores. “As pessoas gostam de barulho, de algo especial. Isso é F1. Agora temos motores silenciosos e ninguém na pista”, afirmou.

Além de sentir falta do barulho característico de um carro de F1, Ecclestone também criticou a restrição ao consumo de combustível no novo regulamento. Este ano os tanques comportarão 80 litros a menos do que no ano passado. “Falam em economizar combustível, mas não precisavam dos novos motores para fazer isso. Tinham é que ter menos motorhomes. A Mercedes leva 23 caminhões para todo o lado. Se quisessem economizar combustível, parariam de fazer isso”, argumentou.

Mesmo com todas essas críticas, Bernie reconheceu que, em relação ao campeonato, a temporada promete. “O bom é que essa temporada será bem interessante, totalmente imprevisível. Isto é animador”, concluiu.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias